Há menos de uma semana, em Portimão, Miguel Oliveira fazia vibrar todos os portugueses, amantes do motociclismo e não só, enchendo-os de orgulho com um categórico triunfo no Grande Prémio MEO de Portugal de MotoGP, no qual não deu hipóteses à concorrência. Foi a sua segunda vitória numa temporada atípica, mas na qual acabou por terminar no 9.º lugar do mundial de pilotos.

Ainda a saborear o triunfo conseguido no Autódromo Internacional do Algarve, Miguel Oliveira falou em exclusivo ao SAPO Desporto sobre essa vitória, aproveitando para fazer o balanço da época, para destacar o apoio que recebeu vindo um pouco de todo o país e para perspetivar já o próximo ano, não escondendo aquele que sempre foi e continua a ser o grande sonho - agora com outras certezas de que se pode vir a concretizar: ser campeão do mundo de MotoGP.

Confira a entrevista.

O balanço da temporada

Como tudo o resto em 2020, devido à pandemia da COVID-19, o Mundial de MotoGP foi tudo menos normal. As incertezas foram muitas desde o início da temporada, adiado várias vezes, levando a inúmeras alterações num calendário que só ficou definido já a época ia quase a meio. Mas todas estas circunstâncias levaram a que acabasse por ser uma temporada marcante não só para Miguel Oliveira, com as suas duas vitórias, mas para o motociclismo português, que não só viu pela primeira vez um piloto nacional subir ao lugar mais alto da categoria máxima da modalidade, como teve direito a receber de novo um Grande Prémio de MotoGP.

Para Miguel Oliveira o balanço é, naturalmente, positivo. "Apesar de ter sido uma época um pouco estranha, e foi inevitável que nos sentíssemos um pouco tristes no inicio, a organização, com muito esforço, conseguiu fazer um novo formato de calendário e nós conseguimos fazer aquilo que nos apaixona mais, que é competir, e arrecadar dentro desta competição duas vitórias e um Top 10 final no mundial. Tudo isto é, sem dúvida, um grande motivo para ter um balanço de época positivo!", começa por afirmar, com um sorriso de satisfação no rosto.

A primeira vitória

Áustria, a 23 de agosto de 2020. Grande Prémio de Estíria. Momento histórico para o motociclismo nacional. Miguel Oliveira consegue a sua primeira vitória de sempre na categoria máxima. O piloto recorda o que sentiu nesse momento.

"A primeira vitória é sempre especial, claro, por ser a primeira. Uma explosão de adrenalina imensa, até porque ter sido uma ultrapassagem na última curva tornou tudo ainda mais especial", confessa.

A vitória em Portugal e a felicidade de sentir o apoio dos portugueses

A temporada de 2020 acabou, então, por trazer o MotoGP de volta ao nosso país, com o Grande Prémio MEO de Portugal de MotoGP a fechar a época em Portimão. E a fechar com chave de ouro, em nova vitória de Miguel Oliveira.

"Foi excelente. Claro que sem o fator público tornou-se um pouco mais frio, mas não foi motivo para deixar de ser especial. Não posso ter motivos para me queixar, porque senti um apoio incrível de todos os portugueses. Foi criada uma onda de apoio enorme e foram fantásticos", sublinha o 'Falcão de Almada'.

O apoio e carinho que recebeu por parte dos portugueses é, confessa, algo que o enche de felicidade. "Para mim, correr em casa já era muito bom. Claro que ter o público iria dar um ingrediente muito especial, mas o apoio que tive fora do circuito, demonstrado nas redes sociais, e mesmo a escolta que tive de alguns motards até ao circuito já me encheu de felicidade e motivação", admite.

A próxima época e o sonho de vir a ser campeão do Mundo de MotoGP

Agora, terminada a época com nota tão positiva, é já altura de perspetivar a próxima. E Miguel Oliveira acredita ter condições - agora que lhe tomou o gosto - de continuar a somar triunfos e lugares cimeiros.

"Vamos continuar com o pacote técnico que temos neste momento e podemos fazer algumas alterações, o que é bom para nós, para maximizar aquilo que temos. Será uma época também muito competitiva, mas acredito que estou agora mais preparado para poder lutar constantemente pelos pódios e pelas vitórias", garante.

"Neste momento temos uma moto que é competitiva em todos os circuitos, pelo menos neste novo formato de calendário. Olhando para o calendário fica a certeza e a esperança de que a moto nos permita continuar a lugar por posições cimeiras", acrescenta.

Tudo isso ajudará, também, a ficar mais perto daquele que é o seu grande sonho. Qual? "Ser campeão do mundo de MotoGP! Agora que já tenho algumas vitórias, poder lutar pelo título mundial será o próximo objetivo", atira, ambicioso.

Mais do que um sonho, trata-se de um objetivo pelo qual Miguel Oliveira continuará a lutar. E, depois de tanto ter deslumbrado os portugueses em 2020, estes poderão certamente contar com ainda mais alegrias em 2021.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.