O secretário de Estado da Juventude e do Desporto destacou hoje o crescimento significativo das bolsas da educação atribuídas a atletas olímpicos, paralímpicos e surdolímpicos, considerando também que existe margem para crescer e ajudar.

Os Jogos Santa Casa, pelo sétimo ano consecutivo, concederam bolsas a estudantes-atletas, com o âmbito de conciliarem a carreira académica com a desportiva, e já com vista à participação nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio2020, sendo que, das 101 candidaturas recebidas, foram aceites 54, distribuídas entre olímpicos (44) e paralímpicos e surdolímpicos (10), avaliadas num total de cerca de 130 mil euros.

“O número de modalidades tem vindo a aumentar, admito que tenha vindo a aumentar o número de candidaturas. Este ano foram 101 e 54 atribuições de bolsas. Há aqui margem para progressão e campo para continuarmos a ajudar mais atletas”, salientou João Paulo Rebelo, durante a cerimónia de entrega, que decorreu no Museu do Oriente, em Lisboa.

O secretário de Estado lembrou também os “mais de 700.000 euros da iniciativa que têm permitido beneficiar atletas com aproveitamento e sucesso em ambas as carreiras” aos longos dos últimos anos.

Por sua vez, o presidente do Comité Olímpico de Portugal (COP), José Manuel Constantino, deixou uma mensagem para as famílias dos bolseiros e vincou que a conciliação é possível.

“Permitir que não desistam do desporto por causa dos estudos é o objetivo desta iniciativa. Dar um sinal aos estudantes desportistas e um sinal, principalmente, às vossas famílias, gente preocupada. Que essa conciliação seja possível de fazer e se preparem para a vida no pós-carreira desportiva sem abandonarem a preparação, o treino desportivo ao mais elevado nível", explicou.

Contudo, José Manuel Constantino não terminou o seu discurso sem deixar um alerta aos estudantes-atletas: “Estas bolsas tem uma condicionante. A sua continuidade depende do aproveitamento escolar e também do aproveitamento desportivo.”

Das 54 bolsas, destaque para a bolsa de educação solidária atribuída ao atleta de boxe Farid Walizadeh, que integra a equipa de refugiados de preparação para Jogos Olímpicos Tóquio 2020, no âmbito do Programa de Apoio a Refugiados do Comité Olímpico Internacional.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.