As seleções de judo iniciaram hoje mais um estágio em Coimbra, num dia em que a judoca Wilsa Gomes recebeu a notícia que mais esperava, o teste negativo à covid-19, depois de quase um mês de isolamento.

A judoca de -57 kg do Sporting manteve-se em Coimbra em quarentena, com o apoio da Federação Portuguesa de Judo (FPJ), depois de em 24 de junho ter testado positivo ao novo coronavírus, bem como o campeão mundial Jorge Fonseca, recuperado há já uma semana.

“A Wilsa já pôde descer [do quarto] e vai ser integrada”, disse à Lusa o presidente da FPJ, Jorge Fernandes, adiantando que naquela que é a quinta semana do programa de estágios em Coimbra, já participaram os judocas da seleção brasileira, integrados desde terça-feira.

A FPJ tem promovido estágios semanais das seleções no estádio universitário de Coimbra e o modelo levou a que outros países e judocas tenham manifestado vontade de se juntarem ao treino e aos trabalhos em curso.

“Alguns judocas franceses já manifestaram interesse, e, possivelmente, até 29 de agosto ainda teremos cá as seleções de Espanha, Roménia, Áustria e Itália”, revelou Jorge Fernandes.

O dirigente considera que as boas práticas e o elogio da Federação Internacional de Judo à forma e protocolo encontrado pela Federação para a retoma após mais de três meses de suspensão na modalidade, contribuíram para a visibilidade.

“Neste momento, contando com o judo adaptado, temos cerca de 90 judocas em estágio, divididos em quatro áreas”, disse ainda Jorge Fernandes, explicando que a cada semana entram mais atletas no programa.

Um cenário em que o dirigente quis salientar o apoio que a Federação tem recebido da Universidade de Coimbra, que facilitou as instalações, bem como do laboratório que, semanalmente, realiza os testes aos judocas antes de cada ‘novo’ estágio semanal.

Em cada recomeço, o protocolo obriga a testes a todos atletas, com um investimento da Federação entre os 2.000 e 2.500 euros semanais, mas com a despistagem necessária a que cada um dos atletas possa entrar nos ‘tatamis’ do estádio universitário de Coimbra.

O objetivo é preparar as seleções para um nível mais competitivo, depois de uma longa paragem, desde março, devido às restrições impostas ao treino e ao contacto, por força da pandemia de covid-19.

O recomeço das provas de judo deverá acontecer em setembro, mês para o qual está calendarizado o Grande Prémio de Zagreb (18 e 20) e o Campeonato Nacional (26 e 27), enquanto os Europeus de Praga, que deveriam ter-se disputado em maio, foram adiados para o período entre 08 e 10 de novembro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.