A Confederação Europeia de Esgrima (CEE) destituiu hoje o seu presidente, Stanislav Pozdniakov, também líder do Comité Olímpico da Rússia, como forma de retaliação à ofensiva militar russa na Ucrânia, anunciou o próprio.

“O Congresso Extraordinário da CEE votou hoje a favor da minha retirada antecipada do cargo. A histeria na Europa levou à ‘cultura do cancelamento’ de todos os russos, incluindo num desporto tão nobre como a esgrima”, escreveu Pozdniakov, numa rede social.

O antigo atirador de 48 anos, com quatro medalhas de ouro olímpicas em sabre, lamentou que, “num muito curto espaço de tempo, outros compatriotas, em funções de maior destaque, foram alvo de ataques semelhantes porque não quiseram ‘cancelar’ a Rússia dentro de si”.

A invasão da Ucrânia pela Rússia, em 24 de fevereiro, foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, com vários países e organizações a decretarem sanções contra interesses russos.

Em retaliação, Moscovo cortou o fornecimento de energia a alguns países, como a Polónia, a Lituânia e, desde hoje, os Países Baixos, depois de ter exigido o pagamento dos contratos na moeda russa, o rublo.

Vários países também têm fornecido armamento ao exército ucraniano para combater as forças russas.

A guerra entrou hoje no 97.º dia, sem um balanço independente de baixas, que diversas fontes, incluindo a ONU, admitem que serão elevadas.

A ONU confirmou até agora a morte de mais de 4.000 civis, mas tem alertado que este número será consideravelmente superior.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.