A seleção portuguesa de futsal sagrou-se hoje pela primeira vez campeã mundial, ao vencer por 2-1 a Argentina, que detinha o título, na final do Campeonato do Mundo de 2021, disputada em Kaunas, na Lituânia.

No final da partida, o selecionador Jorge Braz era um homem feliz. O mais feliz, nas palavras do próprio.

"Vou com a taça e com a medalha para casa, vai tudo. O objetivo da medalha foi pouco para esta equipa. Queriam mais, queriam a taça e vai connosco: 16 fantásticos não, 17, que o Edu [Sousa] está cá connosco hoje. E não esqueço os que lá ficaram [em Portugal]", começou por dizer o técnico, em declarações à RTP.

"A dedicatória é para eles, pelo trabalho e por todos os portugueses. Disse que íamos dar a vida por Portugal, ao nosso país e fomos fantásticos. Sou o homem mais feliz do mundo hoje com uma equipa assim. Ser campeão do mundo supostamente não é fácil e é inteiramente merecido", acrescentou.

Portugal chegou a deter uma vantagem de dois golos, graças ao ‘bis’ de Pany Varela, aos 15 e 28 minutos, mas a seleção sul-americana, que defendia o título mundial conquistado em 2016, na Colômbia, reduziu por Claudino, aos 28, e manteve a incerteza até ao fim.

Portugal, que tinha como melhor resultado de sempre na competição o terceiro lugar alcançado em 2000, na Guatemala, tornou-se o quarto país a erguer o troféu, depois de Brasil, Espanha e Argentina, juntando o título mundial ao europeu, que conquistou, também pela primeira vez, em 2018, na Eslovénia.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.