O Comité Olímpico Internacional (COI) aceitou o pedido da União Ciclista Internacional (UCI) para que as quotas já alocadas para as competições de estrada e pista dos Jogos Olímpicos Tóquio2020 fossem mantidas, foi hoje anunciado.

“Na sequência da proposta da UCI, o COI aceitou que as quotas olímpicas alocadas para o ciclismo de estrada e de pista sejam mantidas. Recordamos que o período de qualificação nestas duas disciplinas terminou, respetivamente, em 22 de outubro de 2019 e 02 de março de 2020”, indicou a federação internacional em comunicado.

Em 15 de março, a UCI anunciou que iria "pedir, respetivamente, ao COI e ao Comité Paralímpico Internacional (IPC)" que o período de qualificação fosse "interrompido retroativamente a partir de 03 de março de 2020”.

"Com essa forte decisão, a UCI garante a equidade desportiva quando se trata da concessão de quotas olímpicas", justificou então o organismo que rege o ciclismo mundial.

Assim, Portugal mantém os seus três ciclistas apurados para os Jogos Olímpicos Tóquio2020 - dois na estrada e uma atleta em omnium (nono lugar no 'ranking' de qualificação) –, tal como uma vaga para os Jogos Paralímpicos.

O apuramento para Tóquio2020, adiado para o verão de 2021 devido à pandemia da covid-19, já estava concluído para as provas de estrada, pista e para-ciclismo, mas ainda está em curso para o BTT, BMX, BMX Freestyle e para-ciclismo de estrada.

Para o BMX Freestyle, o BTT e o BMX, cujo período de qualificação deveria concluir, respetivamente, em 11 de maio, 27 de maio e 01 de junho de 2020, o COI respondeu favoravelmente à proposta da UCI.

No BTT, os pontos conquistados em dois fins de semana da Taça do Mundo durante a temporada de 2021 serão somados àqueles que figuravam no ‘ranking’ em 03 de março de 2020. “Os fins de semana ainda serão determinados e comunicados posteriormente”, pontua a nota.

Já quanto ao BMX, os pontos somados em dois fins de semana na Taça do Mundo de 2021 (também a serem determinados ‘a posteriori’) e nos Mundiais da especialidade este ano serão acrescentados aos do ‘ranking’ aquando da suspensão do calendário velocipédico em todas as suas vertentes.

No mesmo comunicado, no qual revela o calendário para estas disciplinas – o de estrada, exceção feita ao WorldTour, que regressa em 01 de agosto, será desvendado até 20 de maio -, a UCI refere que, relativamente ao BTT, deu prioridade aos Mundiais e à Taça do Mundo, que inclui uma etapa em Portugal.

De 29 de outubro a 01 de novembro, a Lousã vai receber uma prova da Taça do Mundo de Downhill, que deveria ter marcado o arranque da temporada, em 21 e 22 de março, mas que foi adiada devido à pandemia do novo coronavírus.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 302 mil mortos e infetou mais de 4,4 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de 1,5 milhões de doentes foram considerados curados.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.