Oleg Tinkov defendeu hoje que o ciclista espanhol Alberto Contador deveria retirar-se no final da temporada, com o desaparecimento da Tinkoff, uma vez que vai parecer um “pato tonto” e um “estúpido” na Trek-Segafredo em 2017.

“Pessoalmente, penso que o Alberto devia abandonar o ciclismo, porque já não é tão forte como antigamente. Eu parei de patrocinar a equipa no momento certo, no topo. Ele é um grande campeão e devia parar já. Vai parecer um pato tonto, um estúpido. Na Vuelta, foi ‘descarregado’ pelos quatro ou cinco melhores corredores, no próximo ano será pelos 20 melhores. Acho que não vai voltar a ganhar uma grande Volta. Devia esquecer isso e desistir”, disse o russo, até agora ‘patrão’ de Contador, ao ‘site’ especializado Cyclingnews.

O dono da equipa Tinkoff foi impiedoso com o madrileno, vencedor de sete grandes Voltas, incluindo as edições de 2007 e 2009 da Volta a França.

“As pessoas pensavam que eu tinha uma má relação com Sagan […]. Para ser honesto, tenho uma relação muito pior com Contador, só que a imprensa nunca o percebeu. Aliás, nem tenho qualquer relação com ele. Respeito-o enquanto ciclista, pelo seu passado, mas nunca gostei dele enquanto pessoa. Mesmo na equipa, a maioria dos outros ciclistas não gostam dele. Ele acabou por ter uma má relação com toda a gente, exceto o seu pequeno grupo de espanhóis”, revelou.

Tinkov aconselhou ainda o manager da Trek, Luca Guercilena, a ter cuidado com o ‘grupinho’ do espanhol, que se mudou com ‘El Pistolero’ para a formação norte-americana, prevendo que este irá criar problemas na equipa.

“Estou zangado porque não ficámos em primeiro no ‘ranking’ do WorldTour, porque ele ou caiu, ou esteve doente ou abandonou. Não correu a Volta à Lombardia e não sei se o fez de propósito. É uma m... Com o salário que ele ganha, isso não deveria acontecer. O [Alejandro] Valverde esteve doente, mas correu a Lombardia e acabou no ‘top 10’. Isso é ter classe”, prosseguiu.

O russo, conhecido no meio velocipédico pelas excentricidades e declarações polémicas, assumiu ainda que proibiu o espanhol de estar presente na festa de despedida da Tinkoff.

“Disse-lhe: estás doente, ficas em casa, não podes trazer um vírus para a festa e contaminar os teus colegas antes dos Mundiais. Penso que a festa será melhor sem ele, porque ele é um triste”, acusou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.