O Real Madrid anunciou esta segunda-feira o despedimento de Pablo Laso, figura mítica do clube, isto depois de o treinador ter levado os 'merengues' à conquista do campeonato nacional há poucas semanas.

Através de comunicado, o clube anunciou o término da ligação de onze anos com o técnico basco, alegando motivos de saúde. De referir que o despedimento foi anunciado duas horas após Laso ter recebido alta médica.

"O Real Madrid C. F. tomou a decisão de não manter Pablo Laso como treinador da equipa principal de basquetebol, única e exclusivamente por razões médicas. Depois do enfarte sofrido pelo nosso treinador há algumas semanas, o Real Madrid realizou várias consultas a médicos e especialistas em cardiologia, tendo todos eles concordado que continuar nesta altura como técnico do plantel seria um evidente risco para a sua saúde", mencionou o clube em comunicado.

A mesma nota refere que o clube propôs a Laso afastar-se do cargo temporariamente, sendo o estado de saúde do treinador posteriormente reavaliando.

"Na semana passada, o Real Madrid sugeriu a Pablo Laso que deixasse de dirigir a equipa principal, respeitando na íntegra os termos económicos estabelecidos no contrato, esperando pela evolução da sua saúde ao longo da temporada e voltando a analisar a situação em março ou abril. O Real Madrid considera que depois deste episódio coronário agudo que levou a que o nosso treinador fosse submetido a uma operação, e colocado na unidade de cuidados intensivos, seria absolutamente irresponsável não tomar esta decisão. A prioridade para o clube é, antes de tudo, a saúde de Pablo Laso, por quem é nutrido respeito e carinho", acrescenta o Real.

Lembre-se que Laso sofrera um enfarte antes das finais da Liga espanhola de basquetebol diante do Barcelona, tendo assim falhado os jogos decisivos diante dos catalães. Todavia, o treinador acreditava estar em condições para continuar e já estava a preparar a próxima temporada.

Uma versão alternativa

De acordo com o jornal 'Marca', o motivo da saída de Laso ultrapassa os motivos de saúde. Segundo aquele diário desportivo espanhol, conhecido pela forte ligação com os 'merengues', o afastamento do técnico basco deve-se à vontade de Juan Carlos Sánchez em despedir o histórico treinador.

O diretor do departamento de basquetebol dos madridistas já em 2014 teria tentado prescindir de Pablo Laso, isto após o Real Madrid ter perdido a final do campeonato para o Barcelona. Na altura toda a equipa técnica acabou por ser despedida, à exceção do treinador que, ao contrário do que os responsáveis do clube esperavam, acabou por não renunciar ao cargo.

Para suportar ainda mais esta versão, a 'Marca' refere ainda o despedimento recente de Miguel Ángel López, médico da secção de basquetebol. Tal saída terá sido motivada por este se ter negado a passar uma baixa para Pablo Laso durante as finais do campeonato espanhol.

Laso esteve onze anos ao serviço do Real Madrid, tendo conquistado cinco campeonatos, duas Euroligas, quatro taças de Espanha, seis Supertaças e uma Taça Intercontinental, tendo-se assim transformado numa figura lendária do clube.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.