As duas vagas atribuídas ao ciclismo de estrada aumentam para 28 o número de atletas portugueses com mínimos ou quotas asseguradas para os Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020.

O 23.º lugar no 'ranking' olímpico em outubro faz com que Portugal apenas tenha direito a dois ciclistas na prova de fundo, um dos quais com entrada para o contrarrelógio.

O oitavo lugar de Nelson Oliveira no contrarrelógio dos Mundiais de 2019 permite a Portugal ter pela primeira vez dois ciclistas no 'crono' em Jogos Olímpicos.

Tal como para o Rio2016, os velejadores Jorge Lima e José Luís Costa foram os primeiros a assegurar uma presença portuguesa nos Jogos, ao garantirem uma quota - não obrigatoriamente ocupada por esta dupla - em 49er, durante o Mundial de Classes Olímpicas em Aarhus, Dinamarca.

No atletismo, são já cinco os atletas com mínimos, com destaque para João Vieira, que, aos 43 anos, tem marca de qualificação nos 50 km marcha e deverá estar pela sexta vez em Jogos, tornando-se o segundo luso com mais presenças, a uma do velejador João Rodrigues.

Pedro Pichardo, recentemente naturalizado, tem marca no triplo salto, assim como Patrícia Mamona e Evelise Veiga, com Carla Salomé Rocha a ter mínimo na maratona.

Também a natação já tem cinco nadadores com mínimos, com Alexis Santos, semifinalista no Rio2016, Gabriel Lopes nos 200 metros estilos, Tamila Holub e Diana Durães nos 1.500 livres, e Ana Catarina Monteiro nos 200 mariposa.

Fu Yu também vai repetir a presença no torneio feminino de ténis de mesa, depois de ter assegurado a qualificação com a presença na final dos Jogos Europeus.

Na canoagem, que conseguiu os melhores resultados lusos no Rio2016, seis atletas garantiram a qualificação nos Mundiais de velocidade de 2019, entre os quais Fernando Pimenta, medalha de bronze em K1 1000 em Szeged, na Hungria.

O K4 1000, composto por Emanuel Silva, João Ribeiro, Messias Baptista e David Varela, e Teresa Portela (K1 200) também já têm presença em Tóquio, tal como Antoine Launay (K1) no slalom.

De regresso a Jogos Olímpicos estará o tiro com armas de caça, com João Paulo Azevedo no fosso olímpico, tal como as provas de ensino em equestre, com três atletas, após a quota assesgurada por Quota garantida por Maria Caetano, Rodrigo Torres, João Miguel Torrão e Duarte Nogueira no Europeu.

Em estreia estará o surf, com Frederico Morais, por ter sido o melhor atleta europeu nos Mundiais de 2019, enquanto Filipa Martins repete a presença na ginástica artística.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.