A audiência do Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) para confirmar, ou não, a exclusão de quatro anos da Rússia de todas as competições internacionais, decretada em finais do ano passado pela Agência Mundial Antidopagem (AMA), foi adiada para novembro.

A AMA levou no início de janeiro o processo do doping na Rússia ao TAS, depois de em dezembro se ter pronunciado favoravelmente pela exclusão por quatro anos para punir a "manipulação" de dados sobre o controlo antidoping, enviados pela Agência Russa Antidopagem (Rusada).

Inicialmente marcada para julho, a audiência é adiada para 02 a 05 de novembro, no contexto da pandemia de covid-19, disseram fontes do TAS. A audiência, que não será pública, apesar dos pedidos da AMA, será realizada na Suíça, em local ainda por definir.

Em janeiro, o presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, tinha dito que o COI e as federações internacionais precisavam de uma decisão do TAS "que não deixasse qualquer espaço para a interpretação".

"Se houver espaço para a interpretação, isso conduzirá a uma confusão total", disse Bach.

Conhecida em dezembro de 2019, a decisão da AMA deixa a Rússia de fora dos Jogos Olímpicos de verão em Tóquio (em 2021, adiados de 2020), dos Jogos Olímpicos de inverno de Pequim (2022) e ainda do Mundial de futebol do Qatar (2022).

A sanção prevê que apenas os desportistas russos considerados 'limpos' possam participar em competições, mas sob bandeira neutra e sem que o hino nacional seja tocado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.