O União de Paredes vai agarrar-se à "pequeníssima percentagem" de sucesso que tem para tentar surpreender o Benfica na Taça de Portugal de futebol, disse Ginho, um dos capitães da formação do Campeonato de Portugal.

O defesa e mais experiente do plantel, de 35 anos, é pragmático na análise ao sorteio da terceira eliminatória, reconhecendo que "as diferenças [entre Paredes e Benfica] são abismais", mas não deixou de lembrar que ninguém ganha antes de jogar.

"É muito difícil vencermos, mas, em rigor, não é 100% garantido que o Benfica vai ganhar. Teremos um, dois, cinco por cento de possibilidades e temos de nos agarrar a isso e tentar causar uma surpresa. É pensar minuto a minuto, sem nunca temer, mas sempre respeitando" o adversário, disse Ginho, em declarações à Lusa.

O antigo internacional português nos escalões de formação, cuja estreia nas seleções mais jovens aconteceu ao lado de Cristiano Ronaldo, recorre à experiência pessoal para reforçar a sua convicção.

"Era jogador do Paredes e recebemos para a Taça de Portugal o Belenenses, que era treinado por Jorge Jesus. Perdemos 4-2 no prolongamento, após 2-2 no tempo regulamentar. E também joguei em Alvalade frente ao Sporting, na mesma competição, numa eliminatória em que só fomos eliminados a quatro minutos dos 90, de grande penalidade (2-1)", exemplificou.

O "entusiasmo enorme" que o sorteio provocou no balneário cedeu logo ao "foco nos importantes jogos" da série C do Campeonato de Portugal que antecedem o confronto, para alguns dos colegas "o mais importante da carreira".

"Temos uma equipa muito jovem e para muitos destes jogadores pode ser a oportunidade de demonstrar o seu potencial, valorizando-se individual e coletivamente. As diferenças são abismais, para nós sobra o entusiasmo e dentro de campo temos de ser fiéis às nossas ideias, sem descurar o que nos levou até aqui", sublinhou.

Desafiado a falar do Benfica, Ginho sorriu e falou de "um plantel fantástico", lembrando o investimento nos jogadores que foram contratados e aqueles que já lá estavam e continuam a fazer o seu caminho no clube.

"Seja qual for o jogador que faz parte do plantel, tem valor suficiente para jogar em qualquer equipa em Portugal", referiu, elogiando em particular o avançado uruguaio Darwin Núñez.

O defesa central paredense ficava aliviado se não jogasse o uruguaio, um jogador cuja qualidade o deixou "bastante surpreendido".

"[Darwin Núñez] Não era muito conhecido, jogava na II Liga espanhola, mas já mostrou ter uma qualidade acima da média, não só pelos golos que já marcou, mas, também, pelas assistências e o que dá à equipa. O Benfica acertou em cheio na sua contratação", concluiu.

O jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal entre o União de Paredes e o Benfica está marcado para 22 de novembro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.