Mais uma jornada em Itália, mais episódios de cânticos racistas dirigidos a jogadores de origem africana. Desta vez, a vítima foi Romelu Lukaku, jogador que trocou o Manchester United pelo Inter Milão esta temporada.

Frente ao Cagliari, quando se preparava para bater uma grande penalidade, os adeptos da equipa adversária começaram a dirigir insultos racistas contra o belga, algo que não o impediu de converter a grande penalidade. No final do jogo, o avançado lamentou, no Twitter, estar num "mundo que anda para trás" e a Federação italiana prometeu investigar o caso.

Quem não gostou da manifestação de Lukaku foram os ultras do Inter Milão. Numa carta aberta, a 'Curva Sud', tentou justificar o comportamento dos adeptos do Cagliari, defendendo que Lukaku percebeu mal a tradição dos adeptos em Itália. Diz a claque do Inter que os sons imitando macacos "fazem parte do jogo" e que eles próprios continuarão a usar esta 'tática' contra rivais.

"Estamos a escrever-te da parte da Curva Nord. Sim, os que te receberam na chegada a Milão. Lamentamos verdadeiramente que tenhas pensado que o que aconteceu em Cagliari foi racismo. Tens de perceber que Itália não é como vários outros países do Norte da Europa, onde o racismo é um problema real. Acreditamos que possa ter-te parecido, mas não é nada disso. Em Itália usamos alguns truques para ajudar as nossas equipas e tentar enervar os adversários. Não é racismo, é só para os enervar", começa por explicar a 'Curva Sud'.

"Somos um grupo multiétnico e sempre recebemos jogadores de todos os lados. No entanto, sempre usámos esses métodos com jogadores de outros clube e vamos continuar a usar. Os adeptos do Cagliari não são racistas. Considera, por outro lado que é uma forma de respeito, porque eles apenas que eles têm medo que lhes marques um golo, não porque te odeiam. O verdadeiro racismo é outra coisa", detalha a claque, insurgindo-se depois contra o jogador da sua própria equipa.

"Quando dizes que o racismo deve ser combatido em Itália, estás a ajudar a que haja repressão contra os adeptos e contribuis para a criação de um problema que não existe. Somos muito sensíveis e inclusivos. A luta contra o racismo deve começar nas escolas e não nos estádios", termina a carta.

Os adeptos do Cagliari tem usado e abusado dos insultos racistas contra jogadores africanos ou de origem africana: Eto´o, Balotelli, Muntari, Matuidi, Moise Kean e agora Lukaku.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.