Em entrevista à RTP, Luís Filipe Vieira recordou um episódio que o levou a cortar relações com Pinto da Costa.

"Houve um encontro testemunhado por António Salvador, Júlio Mendes, Soares de Oliveira e Antero Henrique. Disse-lhe que a resolução do futebol português passava por nós dois mas a Liga tinha de ser liderada por alguém que não podia ser Benfica nem FC Porto. Eu falei no Luís Duque e ele disse para lhe telefonar. Andámos numa paz e numa relação normal. O que cortou esta relação? Um dia Pedro Proença entra no meu gabinete, vem despedir-se da arbitragem e entrega-me camisola, a dizer que se queria candidatar a presidente da Liga. E disse que tinha apoio do FC Porto. A partir daí nunca mais", afirmou.

Sobre a conquista de um título europeu, Vieira deixou uma promessa.

"Prioridade é onde entrar ganhar todos os jogos e no fim fazemos as contas. É uma aposta firme minha ganhar um título europeu. Nestes 4 anos vou lá chegar. Uma jura que fiz ao meu pai e só falta cumprir esta. Hei-de conseguir."

O líder dos encarnados comentou ainda as afirmações de Frederico Varandas após o clássico sobre o eventual domínio de FC Porto e Benfica.

"O presidente de um clube dizia ontem que o Benfica e o FC Porto... Ele se calhar nem viu o Benfica-Farense, para ver o que é o segundo golo. É falta e foi golo. No Benfica não há lobbie com ninguém. Há trabalho e credibilidade", atirou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.