O Benfica venceu sábado o Belenenses SAD, por 2-0, em jogo da segunda jornada da I Liga, num encontro difícil para o conjunto 'encarnado', que apenas respirou de alívio no período de compensação. Rafa, aos 59 minutos, inaugurou o marcador no Estádio Nacional, com Pizzi a estabelecer o resultado nos instantes finais, aos 90+2 minutos, já depois de Seferovic, minutos antes, ter visto um golo ser anulado por fora de jogo.

Com esta vitória, o Benfica manteve o primeiro posto na classificação geral, com duas vitórias noutros tantos jogos, e parte em vantagem sobre o FC Porto para o clássico do próximo fim de semana. Já o Belenenses SAD continua com um ponto somado, devido ao empate conquistado na primeira jornada, diante do Portimonense (0-0).

O Jogo: Koffi parecia uma muralha, mas Rafa conseguiu ultrapassá-la

Os campeões nacionais dispuseram de várias oportunidades para inaugurar o marcador desde cedo. Raul de Tomás, primeiro, e Seferovic depois falharam o golo quase feito, na mesma jogada. O Benfica até entrou bem no jogo e acutilante no ataque, mas a ineficácia dos avançados levou a que a equipa de Bruno Lage fosse perdendo o domínio dos acontecimentos. Neste aspecto há que destacar o guarda-redes do Belenenses SAD Koffi que voltou a exibir-se a bom nível, depois de já ter deixado boas indicações no encontro da última jornada frente ao Portimonense.

Nos primeiros quinze minutos, as "águias" registaram somente 47% de posse de bola e muitas bolas perdidas. Já os azuis mostraram mais eficácia no passe. A espaços, o Belenenses SAD dava um ar da sua graça, mas o Benfica foi sempre a equipa mais perigosa. Apesar de registarem mais remates, os encarnados pecaram na hora de finalizar e encontraram algumas dificuldades para ultrapassar a povoada zona central da defesa do Belenenses SAD. Rafa Silva, com três tentativas de drible, todas com sucesso, era dos mais interventivos no jogo.

Aos 17 minutos, Rafa ‘picou’ a bola por cima de Koffi, mas o remate acabou intercetado por Nuno Coelho. Pouco tempo depois, novamente Rafa a conduzir um ataque perigoso e a proporcionar um remate de primeira a Raúl de Tomás, que atirou ao lado.

Já perto do intervalo, Seferovic cruzou da direita em direção a Raul de Tomás, com a bola a sobrar para Grimaldo, que rematou contra a defensiva contrária. Na sequência da jogada, o esférico foi parar a Rafa, que permitiu a defesa segura de Koffi, após remate de calcanhar.

Antes de recolher aos balneários, a formação da casa causou um ‘susto’ à equipa de Bruno Lage, com Kikas a aproveitar uma escorregadela de Rúben Dias para se isolar perante Vlachodimos, que impediu o golo dos ‘azuis’ com enorme defesa.

A pressão das águias intensificou-se no arranque da segunda parte, mas estas não deixaram de sentir dificuldades em contrariar a tática montada por Silas, deixando poucos espaços à equipa de Bruno Lage para fazer o seu jogo habitual. Apesar disso, o golo acabou por surgir aos 58 minutos. Rafa Silva combinou com Pizzi, o médio deixou para o extremo e este rematou forte e colocado à entrada da área, sem hipóteses para Koffi.

O golo do internacional português teve o condão de desmontar a defesa da equipa de Silas, e os campeões nacionais começaram a ter mais posse de bola, assim como eficácia no passe. De acordo com dados da GoalPoint, por volta dos 65 minutos, os homens da Luz registavam já 58% de posse de bola na segunda parte e 91% de eficácia de passe.

Contudo, o Belenenses SAD não vacilou e foi crescendo, o que causou alguns calafrios no processo defensivo ao campeão. Aos 78 minutos, a formação da casa esteve muito perto do empate, numa ocasião flagrante desperdiçada por Nico Veléz, após um corte defeituoso de Nuno Tavares, com a bola a sair a escassos centímetros do poste.

O Benfica procurava acabar com as dúvidas no resultado e, aos 84 minutos, colocou mesmo a bola no fundo das rede de Koffi, por intermédio de Seferovic, mas o golo foi anulado por posição irregular do avançado no início da jogada – após longa análise do videoárbitro.

A equipa de Bruno Lage não desistiu e chegou mesmo ao 2-0, através de um remate rasteiro de Pizzi, após assistência de Rafa, que terminou de vez com a discussão da partida no segundo minuto de compensação dado pelo árbitro Fábio Veríssimo.

Confira o resumo da vitória do Benfica no Jamor

Momento do jogo: golo de Rafa Silva ao minuto 59

Depois de uma primeira parte em que os avançados se mostraram pouco inspirados, mesmo com três ou quatro situações claras de golo, o Benfica chegou à vantagem com golo de Rafa, que estava a ser dos melhores em campo nesta altura

A figura: Rafa Silva

Rafa vive, provavelmente, a sua melhor fase com a camisola do Benfica. Causou inúmeras dificuldades à defesa adversária e foi o jogador que teve melhor capacidade para encontrar espaços dentro do último reduto dos azuis. Se já justificava o golo com a exibição que vinha a apresentar, a assistência para Pizzi foi a cereja no topo do bolo.

Melhores

Pizzi: Mais um jogo, mais um golo e uma exibição de nível. O médio é o motor deste Benfica e está a registar o melhor arranque de sempre da sua carreira. Ao todo são cinco golos e três assistências em outros três jogos oficiais. Foi um pouco menos influente do que nos encontros anteriores, mas ainda assim assistiu para o golo de Rafa e fez o tento que estabeleceu o resultado final.

Koffi: Muriel era peça fundamental na equipa de Jorge Silas no temporada passada, mas Koffi parece já ter feito esquecer o seu antecessor. O guarda-redes recrutado ao Lille tinha deixado boas indicações frente ao Portimonense, na última ronda, e frente aos campeões nacioanis voltou a estar a bom nível, com um conjunto de defesas importantes que foram adiando o primeiro golo do Benfica. Nada podia fazer nos golos sofridos.

Nuno Coelho: Foi, muito provavelmente, o segundo melhor jogador do Belenenses SAD no encontro. O central, que já passou por Benfica e FC Porto, foi uma autêntica muralha. Tirou um golo feito ao adversário e ainda criou uma ocasião flagrante de golo. Revelou um bom sentido posicional.

Gonçalo Silva: A par de Nuno Coelho, Gonçalo Silva foi outro dos elementos em destaque nos azuis. Manchou a exibição com o mau passe que dá origem à jogada do segundo golo do Benfica, mas até então tinha apresentado um rendimento bem positivo, sempre atento às movimentações dos homens da frente dos campeões nacionais.

Chiquinho: Esteve pouco tempo em jogo quando entrou para o lugar de Raul de Tomás aos 74 minutos, mas foi o suficiente para agitar o jogo. Foi dele a assistência para o golo anulado a Seferovic (por fora de jogo) e voltou a mostrar que é uma opção válida para número 10/segundo avançado, sobretudo num jogo com maior dificuldade para encontrar espaços entre linhas.

Piores

Seferovic e Raul de Tomas

O suíço e o espanhol voltaram a formar a dupla de ataque do Benfica mas tiveram uma noite pouco inspirada no capítulo da finalização. Seferovic ainda marcou, mas o lance foi anulado por fora de jogo. Já o ex-Real Madrid continua sem se estrear a marcar pelos encarnados, apesar de ser uns dos mais esforçados nas ações ofensivas. Pode ser que, assim que encontrar o fundo das redes, a situação desbloqueie.

Reações

Adjunto de Silas: "Num erro nosso acabámos por sofrer golo que abalou a nossa estrutura"

Bruno Lage: "Só um grande Benfica podia parar este Belenenses"

Rafa Silva: "Jogo com o FC Porto? Todos os adversários nos querem ganhar"

Licá: "Encarámos o jogo da mesma forma que no ano passado"

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.