Chegado recentemente ao Benfica, vindo do Borussia Dortmund, Julien Weigl chega ao quarto clube da sua carreira depois de ter começado nas camadas jovens do 1860 Rosenheim, passando depois pelos sub-17, sub-19 e equipa B do 1860 Munique antes do alemão chegar à equipa principal da equipa bávara.

Na equipa do 1860 Munique, envergou a braçadeira de capitão... por apenas 10 dias e tudo devido a uma viagem de taxi.

O episódio é revelado pelo jornal 'AS', na sua edição online.

Depois de uma saída noturna com os seus colegas Vitus Eicher, Daniel Adlung e Yannick Stark, os quatro, já com algum álcool, apanharam um táxi para regressar a casa.

Pelo caminho, falaram muito, mais do que deviam, acabando por criticar o clube. O que eles não sabiam é que o condutor do táxi era adepto do 1860 Munique, que nessa manhã ligou para o clube e contou tudo o que se tinha passado.

Weigl acabou por perder a braçadeira de capitão, revelando ter ficado devastado com a situação.

"Quando me suspenderam em 2014, estava devastado. A partir daí comecei a olhar com alguma distância para o negócio do futebol. Nessa altura era ingénuo, mesmo sendo capitão de equipa. Pensei que era mais fácil do que realmente era", disse.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.