O treinador do Portimonense, Paulo Sérgio, disse hoje que a sua equipa está mentalizada e trabalhou a pensar que é possível surpreender o FC Porto na sexta-feira, em jogo da 13.ª jornada da I Liga de futebol.

“Vai ser um jogo dificílimo, contra uma equipa fortíssima. Sabemos que, em matéria de probabilidades, elas não caem para o nosso lado, mas isso não nos faz ser negativos ou deixar de acreditar que amanhã [sexta-feira] poderá ser o nosso dia. A equipa está mentalizada e trabalhou a pensar que é possível. Vamos procurar – é a nossa obrigação – ser competitivos e dignificar o emblema”, afirmou o técnico, na antevisão ao encontro marcado para o Municipal de Portimão.

Com um bom percurso no campeonato, que vale aos algarvios o sexto lugar, com 20 pontos, Paulo Sérgio assumiu “satisfação”, mas também vontade de fazer “sempre mais”.

“É bom ter 20 pontos nesta altura, mas queremos mais. Queremos fazer os pontos para atingir os nossos objetivos o quanto antes. Este é mais um desafio grande, em função do excelente oponente, mas isso serve de motivação e não de qualquer tipo de inibição para os atletas”, apontou o treinador, que não contará com o médio-ofensivo japonês Nakajima, emprestado pelos ‘dragões’.

Lembrando que, sob o seu comando, embora só some derrotas no confronto direto, o FC Porto nunca bateu o Portimonense “de forma fácil”, o treinador dos algarvios promete “ir para a briga” com muita concentração.

“Qualquer desatenção ou qualquer falha penaliza-nos bastante, porque a qualidade é tremenda no oponente”, referiu Paulo Sérgio, deixando elogios para um FC Porto que está “mais forte” em relação à época passada.

“Quanto mais tempo o Sérgio passar à frente do FC Porto, a tendência é para melhorar. É uma equipa com um espírito coletivo muito vincado, com sinal do seu treinador e que vem evoluindo e melhorando coletivamente à medida que o tempo passa. É isso mesmo que fazem as grandes equipas e nós vemos como o FC Porto se bate com Juventus ou Liverpool, com equipas de grande dimensão mundial”, declarou o técnico.

Sobre o incidente com Sérgio Conceição no Portimonense-FC Porto (1-2) de março passado, Paulo Sérgio assegurou que “são águas passadas” e que “está completamente ultrapassado”, criticando até a forma como o episódio foi analisado.

“Desentendemo-nos e não ficámos orgulhosos disso. Mas, na altura, também quase que nos quiseram crucificar. Em relação a ataques pessoais, até a mim me envergonhou estar envolvido numa situação em que ele estava a ser atacado de uma forma cruel. Sabemos como são as guerrilhas entre ‘grandes’ e as coisas depois descambaram, só faltou meterem-nos aos dois uns meses em Custóias”, ironizou o treinador em alusão ao estabelecimento prisional.

Com a garantia de “um reencontro tranquilo”, Paulo Sérgio finalizou sobre a relação com Conceição: “Provavelmente, é mais o que nos une do que aquilo que nos separa.”

O Portimonense, sexto classificado, com 20 pontos, recebe na sexta-feira o FC Porto, que partilha a liderança da I Liga com o Sporting, com 32, em jogo marcado para o Estádio Municipal de Portimão, às 19:00, com arbitragem de Manuel Oliveira, da associação do Porto.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.