Marchesín, guarda-redes do FC Porto e campeão nacional, falou com a TyC Sports sobre a conquista do campeonato numa época atípica, marcada pela pandemia de COVID-19.

O guardião considerou que a vitória na Primeira Liga foi uma forma dos jogadores retribuírem o trabalho do clube na altura em que estiveram em isolamento.

"Foi estranho por tudo o que estamos a viver. Estar longe da minha família, a minha esposa e o meu filho nem puderam ir ao relvado, foi uma situação estranha e difícil para todos. Mas vale a pena, o título é uma prenda para a família de certa forma. As pessoas do FC Porto foram muito bons connosco, deram-nos materiais para treinarmos nos meses em que estivemos parados. Até a lista do supermercado nos mandaram para nos ajudar. Estávamos em dívida com eles", afirmou.

Questionado se a disputa da Liga dos Campeões será um trampolim para outros voos, o argentino afirma que isso é hipótese, mas que não é algo que tenha em mente neste moemnto.

"(...) vamos jogar a Champions e é um desafio muito importante para mim. É um sonho. O FC Porto é uma equipa grande, com uma história internacional. Estou a desfrutar, por agora não penso no que pode acontecer. Sei que estou bem, num grande clube e numa cidade maravilhosa. Não penso no que pode acontecer mas sim no desafio da Champions no próximo semestre e quero preparar-me para isso", concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.