“É um adversário difícil, que está também sustentado na I Liga, em que nos últimos anos alcançou classificações seguras”, afirmou o técnico dos madeirenses, na conferência de antevisão ao encontro de sábado.

Após duas vitórias consecutivas, frente ao Tondela (2-1) e FC Porto (3-2), o Marítimo saiu derrotado na partida caseira diante do Portimonense (2-1), após perder duas peças fundamentais, Nanu (FC Porto) e Getterson (Al-Ain), na ‘reta’ final do mercado, obrigando o técnico a “reconstruir outra vez”.

“Da mesma forma que fomos assentando a equipa, chegou o fecho do mercado. Com a saída de dois jogadores, tivemos de ajustar outra vez. A equipa vai estabilizando com o tempo, com jogos, com vitórias, que vão sustentando aquilo que é a nossa ideia”, sublinhou.

O treinador, de 51 anos, continuou a explicar que a saída de dois atletas importantes obrigou a “equilibrar” e “reformular” a sua ideia inicial, com os jogadores disponíveis.

“Quando há mudanças é preciso equilibrar, reformular e continuar a trabalhar, a equipa está segura e a trabalhar bem. Vamos tentar dentro daquilo que nós temos, equilibrar a equipa e torná-la competitiva. Acreditamos que o resultado estará já neste jogo”, frisou.

O técnico ‘verde rubro’ assume que não fará muitas alterações a nível estratégico, só as impostas pela “mudança” (saída de Nanu e Getterson).

“Nós estamos criando uma identidade, e essa identidade requer tempo, por isso, é voltar a ‘dar as cartas’, trabalhar e jogar. Esperamos vencer e depois do jogo voltamos a reavaliar e ver onde estivemos bem e o que precisamos melhorar”, enumerou o ‘timoneiro’ maritimista.

O Marítimo, sétimo classificado, com seis pontos, visita o Moreirense, 11.º, com cinco, pelas 15:00 de domingo, em jogo da quinta jornada da I Liga, com arbitragem de Artur Soares Dias.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.