A segunda volta da edição 2019/20 da I Liga começa este fim-de-semana, com cinco jogos agendados para domingo. Ao longo da primeira volta foram quatro os clubes que lideraram a tabela: o Benfica (nas duas primeiras jornadas e, depois, a partir da 9ª ronda), o Sporting (na 3ª jornada), o Famalicão (da 4ª à 7ª jornada) e o FC Porto (na 8ª jornada).

Nos 153 jogos disputados registaram-se 41 empates, 64 vitórias caseiras e 48 triunfos forasteiros. O resultado mais comum foi o 1-0 (que se verificou em 36 ocasiões), seguido das igualdades a uma bola (que se registaram por 22 vezes).

Líder destacado da tabela, o Benfica foi a equipa que mais pontos somou quer em casa (24), quer fora de portas (24). No polo oposto, o Tondela foi quem menos pontos conseguiu no seu reduto (apenas seis), enquanto o 'lanterna vermelha' Desportivo das Aves foi a única equipa a não amealhar qualquer ponto fora de casa.

O Benfica logrou também a maior série de vitórias consecutivas (14, numa série que se estende desde a quarta jornada e ainda dura), com Marítimo e Portimonense a assumirem-se como os 'reis' dos empates (com oito igualdades cada). Benfica e Aves, pelo contrário, não somam ainda qualquer empate. Já a maior série de jogos sem perder pertenceu ao FC Porto, que esteve invicto 15 partidas, entre a 2ª e a 16ª jornada, antes de se ver derrotado pelo Sporting de Braga na derradeira ronda da primeira volta.

O Desportivo das Aves perdeu dez jogos seguidos, entre a 3ª e a 12ª jornada, mas foi o Paços de Ferreira que teve o pior arranque. Os pacences tiveram de esperar seis jornadas pelo primeiro triunfo da época na prova. Penúltimo classificado, o Portimonense  foi quem menos vitórias festejou até agora: apenas 2.

Média de 2,41 golos por jogo

No que toca a golos, foram marcados ao todo 368, o que perfaz uma média aproximada de 2,41 por jogo. A maior parte desses golos (205, ou 55,7%) foram apontados nas segundas partes dos encontros. Ao todo, foram obtidos três 'hat-tricks', assinados por Zé Luís (FC Porto), Mehdi Taremi (Rio Ave) e Vinícius (Benfica). Pizzi, atual melhor marcador da prova (com 12 golos), foi quem mais vezes bisou (logrou-o em três ocasiões). A melhor 'arma secreta' da prova pertence ao Famalicão, onde Anderson já marcou por seis vezes depois de saltar do banco.

O melhor ataque é, para já, do Benfica, única equipa a superar a barreira das quatro dezenas de golos, e o pior é o do Vitória de Setúbal, que ainda só fez balançar as redes por dez vezes. O Benfica tem também a melhor defesa, com apenas seis golos sofridos, enquanto o Desportivo das Aves, pior defesa, já sofreu 33.

Famalicão já viu quatro vermelhos diretos

A fechar, um olhar para o capítulo disciplinar. Diaby (Paços de Ferreira) e Ricardo Esgaio (Sporting de Braga) já viram oito cartões amarelos, enquanto José Semedo, do Vitória de Setúbal, foi o único jogador a ser expulso por mais do que uma ocasião (duas vezes, ambas por acumulação de amarelos).

Ao todo, na primeira volta foram exibidos 785 cartões amarelos e 42 vermelhos, metade dos quais mostrados de forma direta. A equipa que viu mais cartões foi o Boavista (60 ao todo, divididos por 57 amarelos e três vermelhos. Sporting, Vitória de Setúbal, Santa Clara, Paços de Ferreira, Belenenses SAD e Portimonense ainda não tiveram qualquer vermelho direto, enquanto o Famalicão já viu quatro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.