O Sporting está a atravessar uma das piores temporadas da sua história e apenas Rúben Amorim, o quarto treinador da equipa de futebol, conseguiu, para já, alguma melhoria.

A época começou com Marcel Keizer ainda ao comando, depois de ter vencido a Taça de Portugal e a Taça da Liga na época anterior, mas o holandês apenas aguentou quatro jornadas, num arranque de época marcado pela pesada derrota na Supertaça (5-0), frente ao Benfica.

O desaire em casa com o Rio Ave, por 3-2, foi o ponto final da carreira de Keizer em Alvalade, com Leonel Pontes, que estava nos sub-23, a ser escolhido para, interinamente, orientar os 'leões'.

Em quatro jogos, Pontes somou um empate e três derrotas, com o Rio Ave a marcar novamente a despedida de um técnico, desta feita após desaire caseiro para a Taça da Liga.

Silas, que tinha deixado o Belenenses SAD, foi o senhor que se seguiu e o que teve, até este momento, o 'reinado' mais longo, comandando a equipa em 28 encontros, com 17 vitórias, um empates e 10 derrotas.

O estado de graça do ex-internacional português acabou praticamente ao terceiro encontro, com a eliminação da Taça de Portugal, frente ao Alverca, do terceiro escalão, logo na estreia na competição.

Silas conseguiu algumas vitórias importantes, como o 4-0 ao PSV Eindhoven, na Liga Europa, na qual conseguiu levar a equipa aos 16 avos de final, contudo, perdeu em casa com FC Porto (2-1) e Benfica (2-0) para o campeonato, além de ter sido eliminado nas meias-finais da Taça da Liga, frente ao Sporting de Braga (2-1), então treinado por Rúben Amorim.

Um triunfo por 3-1 em casa, frente ao Basaksehir parecia encaminhar o Sporting para os oitavos de final da Liga Europa, mas a visita à Turquia foi de 'pesadelo' para os 'leões', que perderam por 4-1, após prolongamento.

Este encontro acabou por definir o futuro de Silas, que acabou por ser sentenciado com mais uma derrota, a 15.ª da temporada, desta feita em casa do Famalicão (3-1).

O presidente do Sporting, Frederico Varandas, acabou por decidir dispensar Silas para contratar, por 10 milhões de euros, o jovem Rúben Amorim, de 35 anos e um treinador que tinha poucos meses de experiência na I Liga.

O curto currículo de Amorim era, contudo, muito positivo, com apenas duas derrotas, ambas na Liga Europa, frente ao Rangers, e um empate em 13 encontros, mas com dois triunfos sobre o FC Porto, outros tantos sobre o Sporting, um sobre o Benfica e uma Taça da Liga conquistada.

Amorim estreou-se pelos ‘leões’ com um triunfo em Alvalade sobre o Desportivo das Aves (2-0), antes de a I Liga ser interrompida pela covid-19.

Após a retoma, o Sporting somou dois empates, ambos no Minho (Vitória de Guimarães e Moreirense), e cinco triunfos, com uma aposta em jogadores vindos da formação, como Eduardo Quaresma ou Nuno Mendes.

Sem Bruno Fernandes, grande figura dos últimos anos e que se transferiu em janeiro para o Manchester United, Jovane Cabral tem sido o destaque, sobretudo após a retoma, marcando cinco golos em seis jogos.

Os 'leões' procuram evitar uma inédita 16.ª derrota numa mesma temporada, depois de já terem igualado os seus piores registos de sempre, de 2000/01 e 2012/13.

Na quarta-feira, no Estádio do Dragão, o Sporting, de Rúben Amorim, terá o seu maior teste, na visita a um FC Porto a quem falta apenas um ponto para ser campeão e que até pode entrar já com o título assegurado, se o Benfica perder pontos na véspera.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.