O FC Porto foi, esta sexta-feira, derrotado (3-2) em Paços de Ferreira em jogo de abertura da sexta jornada do campeonato português. Excelente exibição por parte da equipa da casa, que viu o treinador Pepa ser expulso, perante um FC Porto completamente perdido em campo. Paços de Ferreira reclamou dois lances (golo anulado e penálti favorável ao FC Porto) que foram, no mínimo, bastante polémicos.

Quanto ao onze inicial, Pepe não fez parte da ficha de jogo e isso refletiu-se na consistência defensiva do FC Porto. Destaque também para a estreia a titular de Grujic, sérvio que entrou na partida ante o Olympiakos.

O Paços de Ferreira entrou muito bem na partida, tendo materializado esta atitude positiva aos 11 minutos. Num grande passe de Hélder, a abrir para Luther, este tentou o remate, mas Corona cortou. A bola sobrou ainda para Dor Jan, Diogo Leite ainda desviou, mas o israelita não desistiu do lance e atirou a contar. Foi uma estreia de sonho para o avançado israelita do Paços de Ferreira. Primeiro jogo a titular e primeiro golo.

Aos 37 minutos deu-se o primeiro momento polémico da partida. Num cruzamento de Hélder, Dor Jan não chegou à bola e foi Luther quem finalizou. Porém, o lance foi alvo da análise do VAR, Nuno Almeida foi ele mesmo ver as imagens e o golo acabou por ser anulado por falta de Dor Jan. Um momento de grande tensão em todo o banco pacense, gerando inclusiva a expulsão do treinador Pepa por protestos, assim como o seu adjunto.

Contudo, o Paços de Ferreira não desanimou e rapidamente voltou a balançar as redes da baliza de Marchesín. Num passe atrasado de Hélder para a entrada da área, apareceu Eustáquio e atirou à vontade e longe do alcance do guardião portista.

Em tempo de compensação do primeiro tempo, o árbitro assinalou grande penalidade para o FC Porto. Eustáquio tocou a bola com a mão quando tentava o corte a Uribe e Nuno Almeida assinalou a grande penalidade. Outro lance bastante polémico, que gerou muita contestação do lado da equipa da casa, uma vez que o médio do Paços cortou com o pé e apoiou o braço no chão, acabando por tocar na bola.

Já no segundo tempo, quando era aguardada uma forte pressão no arranque da segunda metade por parte do FC Porto, foram os pacenses a marcar. O árbitro Nuno Almeida voltou a assinalar grande penalidade, desta vez favorável à formação caseira por mão na bola de Marega aquando da disputa de bola com Dor Jan. Na conversão, Bruno Costa rematou com sucesso, apesar de Marchesín adivinhar o lado. O médio de 23 anos não festejou o golo conseguido frente à sua antiga equipa.

Já perto dos 80 minutos, e após um momento de inspiração de Otávio, o médio brasileiro rematou forte e colocado, com a bola a entrar junto ao poste, sem hipótese para Jordi.

Com o apito final, Sérgio Conceição foi tirar satisfações junto da equipa de arbitragem e acabou por ser expulso.

Com esta vitória, o Paços de Ferreira sobe provisoriamente ao sexto lugar, com oito pontos, enquanto o FC Porto conserva, para já, o terceiro lugar, com 10, a cinco do comandante Benfica.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.