Um empate chegava para fazer a festa, mas o FC Porto de Sérgio Conceição nunca foi de jogar para o 'pontinho', nem mesmo nos clássicos, e foi com um triunfo por 2-0 sobre o Sporting (primeira derrota com Rúben Amorim no banco) que os 'dragões' confirmaram a conquista do 29.º título nacional da sua história. Depois de um arranque eletrizante, o jogo esfriou no segundo tempo, e foi aí que os 'azuis e brancos' se superiorizaram, com Danilo e Marega a repetirem a dose depois da viagem a Tondela.

Obrigado a mexer na equipa devido às indisponibilidades, quer por castigo, quer por lesão, Sérgio Conceição  surpreendeu com a aposta em Fábio Vieira e Loum, além de Danilo Pereira, para colmatar as ausências do lesionado Sérgio Oliveira e dos castigados Uribe e Corona, mantendo a coesão do meio-campo. No Sporting, Borja entrou para o lugar do castigado Acuña e Matheus Nunes relegou Doumbia para o banco de suplentes.

Os 'leões' entraram a matar. Primeiro minuto de jogo e já a bola estava na baliza do FC Porto, apesar do lance anulado por fora de jogo a Sporar. Dez minutos depois foi o FC Porto a introduzir a bola na baliza de Max (excelente o passe de Fábio Vieira para a desmarcação de Luis Díaz), mas o lance também foi anulado. O jogo prometia.

O perigo continuou a rondar as duas balizas, percebendo-se que os ‘dragões' tentavam intensificar a pressão que lhes é habitual, causando muitos erros à saída ofensiva do Sporting. Aos 25 minutos, Otávio rematou à entrada da área, a bola sofreu um desvio em Coates e saiu a rasar o poste da baliza de Max. O central uruguaio voltou a ser chamado a intervir no lance seguinte, afastando o remate de Luis Díaz quase em cima da linha de golo.

Aos 33' foi a vez de Jovane assustar, após canto de Borja, com Manafá a deixar o extremo do Sporting solto para cabecear com perigo, mas por cima da baliza de Marchesín. A equipa portista tentou chegar ao golo ainda antes do intervalo e voltou a estar perto num livre cobrado por Alex Telles, com Maximiano a arriscar na saída aos pés de Pepe, mas a conseguir afastar a bola.

Na segunda parte, o Sporting quebrou e o FC Porto foi ganhando terreno. Aos 63 minutos, Fábio Vieira deixou a primeira ameaça de golo, com um remate ao ferro, que serviu de prenúncio para o tento inaugural, que chegou no instante seguinte, quando Danilo desviou de cabeça para o 1-0, após canto de Alex Telles.

O golo anulou qualquer aspiração sportinguista de sair do Dragão com os três pontos. Rúben Amorim lançou em campo Joelson, que ainda deu outro fulgor aos 'leões', mas faltou discernimento para definir o último passe.

Se o 'dragão' já tinha uma mão no título, colocou a outra aos 90 minutos, graças ao golo de Marega, que picou a bola por cima de Max e fechou o jogo. Rúben Amorim perdeu pela primeira vez e o FC Porto viu confirmado o 29.º título da sua história.

O momento

Danilo faz o 1-0: Explosão de alegria na Invicta quando o capitão desatou o nulo, abrindo caminho para festa portista. O médio já havia feito o mesmo na jornada anterior, diante do Tondela. Canto de Alex Telles no lado direito e Danilo, de cabeça, a desviar na área para o fundo da baliza. E a festa portista começou aí.

A figura

Fábio Vieira: Na estreia a titular, o miúdo voltou a mostrar grande maturidade.em campo. Excelente o passe para Luis Díaz aos 12 minutos, assistência que voltaria a repetir aos 26', e ainda esteve muito perto de marcar, num remate potente que só parou na trave da baliza 'leonina'.

Reações

Sérgio Conceição e a chave do título: "Foi a união do grupo de trabalho"

Danilo: "Sensação inesquecível. De certeza que estão todos felizes em casa"

Pepe: "Os adeptos sempre acreditaram que era possível"

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.