O clássico entre o FC Porto e o Benfica ainda mexe. Na antevisão do jogo com o Académico de Viseu, o técnico do FC Porto vincou que a sua equipa foi melhor no clássico, por isso venceu por 3-2.

"Quando se fala do jogo jogado, penso que a opinião é unânime de que o FC Porto foi melhor do que o Benfica. Tivemos mais oportunidades - pelo menos seis para além dos golos - e fomos muito mais fortes e mais intensos do que o adversário. Fomos melhores a título individual e coletivo. Foi sem espinhas", começou por dizer.

"E não foi, como já ouvi, um jogo à imagem do da Luz. O início da construção foi diferente, a segunda fase de construção foi diferente. Houve situações diferentes, o movimento dos alas e dos laterais foi diferente a nível de ocupação de espaços... ", completou, antes de fazer uma observação, a respeito das palavras do treinador do Benfica antes do jogo.

"Mas há uma observação que quero fazer. Ouvi o treinador Bruno Lage, e bem, a dizer muitas vezes, principalmente nos últimos 18 jogos, que quem quer ganhar ao Benfica tem de correr mais que o Benfica. E nós corremos mais três quilómetros que o Benfica. Dou toda razão ao Bruno Lage, as equipas que correm mais ganham 90 e tal por cento das vezes. E foi assim que nós ganhámos", justificou Conceição.

Depois do jogo, os 'encarnados' criticaram a atuação da equipa de arbitragem, liderada por Artur Soares Dias, pedindo árbitros estrangeiros nos jogos do Benfica e do FC Porto até ao final da época. Para Conceição, tudo não passa de uma estratégia para "tapar o Sol com a peneira".

"Tudo o que possa vir para cima da mesa a seguir, sobre lances mais ou menos bem apitados, decisões melhores ou piores... isso já é querer tapar o sol com a peneira. Há momentos em que a arbitragem foi a favor do FC Porto, outras do Benfica, mas não foi por isso que ganhámos. Foi por mérito nosso. É uma tremenda injustiça para os meus jogadores dizer-se isso, porque foram fantásticos", lembrou.

A conferência de imprensa era de antevisão do jogo com o Académico de Viseu mas foi dominado pelo clássico do passado sábado, ganho pelos 'dragões' por 3-2. Conceição começou por dizer que era "falta de respeito para com o Académico de Viseu falar de outro jogo" mas quando foi questionado sobre as palavras de Bruno Lage, no lance entre Marega e Taarabt (o marroquino foi atingido pelo maliano e perdeu um dente) lembrou a entrada do treinador do Benfica no relvado para dar indicações a Grimaldo.

"Não tenho que comentar palavras do treinador adversário. São situações onde o Bruno Lage tem que se defender de uma comunicação tremendamente agressiva, de um movimento que teve em direção ao Grimaldo a dar-lhe indicações dentro do campo. Foi um movimento que apreciei", respondeu Conceição, antes de se lembrar de uma situação idêntica mas com um desfecho diferente para si.

"Eu, na Académica, por pisar a linha lateral no antigo estádio dos Barreiros, fui expulso. No ano passado, disse que os árbitros deviam ser protegidos. Isto acontece, normalmente, quando o Benfica não se sente satisfeito. Estamos habituados a superiorizar-nos ao Benfica, foi o que aconteceu. Não temos que pedir desculpa por ganhar ao Benfica. O Benfica tem tido um mérito incrível no trajeto no campeonato nacional e na Taça de Portugal. Contra nós, temos sido mais fortes", defendeu.

Sérgio Conceição aproveitou para deixar elogios a Sérgio Oliveira, autor do primeiro golo no clássico.

"O duplo pivot [do meio-campo] esteve mais contido na Luz, aqui promovemos essas infiltrações, com um jogador como o Sérgio, que remata bem, que tem qualidade no início de construção, porque é tecnicamente evoluído. Mas falar do Sérgio seria desvalorizar o trabalho da equipa, que esteve a um nível altíssimo", atirou.

O FC Porto-Académico de Viseu, da segunda-mão das meias-finais da Taça de Portugal, está marcado para às 20h45 desta quarta-feira

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.