O presidente do Marítimo, Carlos Pereira, assumiu hoje a “responsabilidade” e garantiu ter “plena confiança” no trabalho realizado pelo técnico Milton Mendes na equipa madeirense, que milita na I Liga portuguesa de futebol.

“Quando não sentirmos confiança, ele [Milton Mendes] próprio é o primeiro a dizer que o fim da linha chegou e é esse o compromisso que existe. Se não houvesse essa plena confiança nós não estaríamos aqui”, frisou o dirigente dos ‘verde-rubros’, que abriu a conferência de imprensa, ladeado pelo treinador Milton Mendes e pelo ‘capitão’ Zainadine.

O conjunto insular atravessa uma fase menos positiva com sete derrotas consecutivas, com Carlos Pereira a apontar a eliminação da Taça de Portugal, diante do Estoril Praia, como o momento que desencadeou a “corrente negativa”.

Na última ronda o Marítimo recebeu o FC Porto, tendo saído derrotado na sequência de uma grande penalidade em cima dos 90.

Rúben Macedo, extremo maritimista, que fez formação nos ‘dragões’, foi alvo de duras críticas ao longo da semana nas redes sociais, críticas “injustas”, segundo Carlos Pereira, perante um “acidente de percurso, como muitos que têm acontecido ao longo da época”.

“Foi muito mais penalizador para nós o penálti involuntário feito pelo Kerkez que determinou esta série de jogos menos bons. Levantou-se alguma onda? Não. Levanta-se uma onda, não dos maritimistas, mas dos tais seis milhões e mais alguns que lhes dá jeito naquele momento, porque foi contra uma instituição que anda a lutar pelo mesmo objetivo, então usa esta situação para fazer com que o atleta seja penalizado”, concluiu.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.