Sérgio Conceição tornou-se em 2019/20 o 24.º treinador a repetir a conquista do título de campeão português de futebol, ao ‘replicar’ o sucesso de há dois anos, também ao comando do FC Porto.

Aos 45 anos, Conceição junta-se a um lote de 10 treinadores que somam dois cetros, e seguem no 14.º lugar do ‘ranking’, sendo que o último a entrar tinha sido Vítor Pereira, também com dois títulos pelos ‘dragões’, em 2011/12 e 2012/13.

O ex-jogador de Penafiel, Leça, Felgueiras, FC Porto, Lazio, Parma, Inter de Milão, Standard Liège, Al Qadisiya e PAOK junta-se a mais cinco compatriotas, nomeadamente Cândido de Oliveira, José Maria Pedroto, Toni, António Oliveira e José Mourinho.

Cândido de Oliveira ‘bisou’ ao comando do Sporting, em 1947/48 e 48/49, José Maria Pedroto pelo FC Porto, em 1977/78, para acabar com uma ‘seca’ de 18 anos, e 78/79, Toni ao comando do Benfica, em 1988/89 e 93/94, e António Oliveira (1996/97 e 97/98) e José Mourinho (2002/03 e 2003/04) também pelos ‘dragões’.

A lista de bicampeões inclui ainda quatro estrangeiros, um pelos ‘encarnados’, o inglês John Mortimore (1976/77 e 86/87), e três pelos ‘azuis e brancos’, o húngaro Mihaly Siska (1938/39 e 39/40), o brasileiro Carlos Alberto Silva (1991/92 e 92/93) e o inglês Booby Robson (1994/95 e 95/96).

Conceição, que soma três títulos como jogador, arrebatados em 1996/97, 1997/98 e 2003/04, ficou a apenas um cetro de saltar para o segundo lugar da tabela, na qual seguem 12 treinadores, todos com três vitórias no principal campeonato luso.

Os primeiros a chegarem ao ‘tri’ foram três húngaros, nos anos 30 e 40 do século passado, Lipo Herczka e Janos Biri ao comando do Benfica e, pelo meio, Josef Szabo, que arrebatou um pelos ‘dragões’ e, depois, ‘bisou’ pelo Sporting.

O inglês Randolph Galloway foi o quarto a chegar aos três títulos, e consecutivos (1950/53), seguindo-se outro húngaro, Béla Guttman, que somou o primeiro pelo FC Porto e os outros dois pelo Benfica (1959/61), que conduziu a dois títulos europeus.

O chileno Fernando Riera, em 1962/63, 66/67 e 67/68, e o inglês Jimmy Hagan, consecutivamente em 1970/71, 71/72 e, sem derrotas, em 1972/73, também ‘triplicaram’ pelo Benfica, enquanto Artur Jorge, ex-avançado do Benfica, conseguiu-o pelo FC Porto, em 1984/85, 85/86 e 89/90, com uma Taça dos Campeões pelo meio.

O sueco Sven-Goran Eriksson, que teve duas passagens pelo Benfica, também conquistou três títulos (1982/83, 83/84 e 90/91), enquanto Jesualdo Ferreira, também ex-técnico de Benfica e Sporting, logrou-os pelo FC Porto (de 2006/07 a 2008/09).

Mais recentemente, ‘triplicaram’ pelo Benfica Jorge Jesus, que ganhou em 2009/10, 2013/14 e 2014/15 e vai regressar ao comando das ‘águias’ em 2020/21, e Rui Vitória, em 2015/16, 2016/17 e, com a preciosa ajuda de Bruno Lage, em 2018/19.

Acima deste lote de técnicos com três títulos, está, bem acima de todos, o brasileiro Otto Gloria, falecido em 1986, com 69 anos, que ganhou um total de seis campeonatos.

O técnico que também orientou a seleção portuguesa de futebol venceu quatro pelos ‘encarnados’, em 1954/55, 56/57, 67/68 e 68/69, e, pelo meio, ‘bisou’ pelo Sporting, em 1961/62 e 65/66.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.