O Moreirense subiu de rendimento na segunda volta da I Liga portuguesa de futebol, período em que somou 25 dos seus 43 pontos, e atingiu o oitavo lugar, suficiente para a permanência na competição pela sexta época consecutiva.

A oitava posição foi a segunda melhor classificação dos ‘cónegos' em 10 temporadas no escalão principal, precisamente atrás da sexta posição obtida em 2018/19, com recorde de pontos (52), e envolveu uma troca de treinadores - Ricardo Soares rendeu Vítor Campelos -, quando a equipa era 11.ª classificada após a 14.ª jornada, que até valeu o triunfo caseiro sobre o Belenenses SAD (2-1).

Contratado em dezembro de 2019, ao Sporting da Covilhã, da II Liga, Ricardo Soares somou apenas um ponto nos primeiros quatro jogos, mas uma goleada de 5-1 em Barcelos, sobre o Gil Vicente, na 19.ª jornada, lançou a equipa para uma série de sete jogos sem derrotas e de 15 pontos somados, a melhor na prova.

A formação do concelho de Guimarães perdeu apenas quatro jogos na segunda metade da I Liga - Sporting de Braga (2-1), Rio Ave (1-0) e Tondela (2-1), em casa, FC Porto, fora (6-1) - e apresentou a quarta defesa menos batida nesse período, com 19 golos sofridos, atrás dos ‘dragões' (11), Sporting (14) e Marítimo (18).

As diferenças entre os treinadores também se viram no rendimento apresentado consoante o ‘palco' dos jogos, com Vítor Campelos a somar a maioria dos pontos no Estádio Joaquim de Almeida Freitas, em Moreira de Cónegos, e Ricardo Soares a obter melhores resultados fora.

Após a saída de Ivo Vieira para o vizinho Vitória, Campelos apresentou, entre agosto e dezembro, um Moreirense defensivamente organizado, que somava regularmente pontos em casa - 14 em sete jogos -, mas incapaz de vencer longe de Moreira de Cónegos, com três empates e quatro derrotas nessa condição.

Com Ricardo Soares, a turma minhota ganhou dimensão ofensiva, apareceu mais vezes em zonas adiantadas e somou até mais pontos longe de casa - 16 na condição de visitante, perdendo apenas dois jogos, e 10 no seu reduto, após um registo de dois triunfos, quatro empates e três desaires.

Dois dos reforços para a época 2019/20, utilizados habitualmente nas extremidades do relvado, foram os destaques do conjunto nortenho: o guarda-redes brasileiro Pasinato foi o jogador mais utilizado da equipa (2.970 minutos e acumulou o maior número de defesas na I Liga (118), enquanto o avançado angolano Fábio Abreu foi o quinto melhor marcador da prova, com 13 golos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.