O treinador interino do Sporting de Braga, Artur Jorge, disse hoje que acredita que, se a equipa vencer todos os jogos até ao fim da I Liga de futebol, tem fortes possibilidades de terminar em terceiro lugar.

O técnico que substituiu Custódio Castro, após o desaire em Vila do Conde, terça-feira, diante do Rio Ave (4-3), vai liderar uma equipa que, após a retoma pós covid-19, averbou três derrotas, um empate e apenas uma vitória, tendo perdido o terceiro lugar para o Sporting.

O técnico fez hoje a antevisão da receção ao último classificado e já despromovido Desportivo das Aves, sábado, da 30.ª jornada e, questionado sobre se ainda acredita ser possível atingir o terceiro lugar, frisou que o Sporting de Braga "tem de ter sempre ambição".

"Já tivemos nessa posição, estamos um pouco mais afastados agora, mas temos que dar o nosso melhor com a preocupação de vencer jogo a jogo. Temos uma margem atrasada em relação ao nosso principal rival [Sporting], mas vamos continuar a lutar, a olhar para cima, e acredito que, se conseguirmos vencer os jogos até ao final do campeonato, temos fortes possibilidades de conquistar o terceiro lugar", disse.

Artur Jorge confessou ficar "ligeiramente irritado" com a pergunta sobre o momento da equipa.

"É olharmos para a parte negativa. Como é que a equipa está? A equipa está bem, está preparada, estes jogadores são competentes, a administração entendeu tê-los cá para lutarem por objetivos altos, já deram provas da sua mais valia", disse.

Artur Jorge disse sentir "o privilégio de ser o treinador de um dos grupos mais fortes que existem em Portugal".

"Não estou a pedir nada de mais aos jogadores, até porque a fasquia pessoal deles também é alta, estão habituados a ganhar e querem ganhar", disse.

Não querendo entrar na análise do que foi o Sporting de Braga até agora por "respeito" aos anteriores treinadores, Artur Jorge disse que importa "puxar os jogadores para a razão de serem iguais a si próprios".

"Acho que temos muito mais para dar, a paragem [por causa da pandemia de covid-19] pode, mentalmente, ter desfasado a equipa, mas este grupo de trabalho tem muita qualidade e muito para dar", disse.

Artur Jorge será o quarto treinador a orientar, esta época, a equipa ‘arsenalista', que já experimentou vários esquemas táticos.

"Tenho as minhas próprias ideias e não abdico delas. O tempo de trabalho é ainda muito curto para o que possamos fazer, mas seguramente teremos algumas dinâmicas muito pessoais, mais próprias minhas, mas que vão ao encontro do que a equipa é capaz", disse.

Sobre o Desportivo das Aves, último classificado e que já desceu de divisão, disse que, "ao contrário do que se possa pensar, é um jogo muito difícil".

"Devemos ter o máximo respeito pela equipa adversária. Apesar de não terem conseguido o objetivo de ficar na I Liga, têm agora objetivos mais pessoais e individuais e isso, por vezes, causa desconforto porque não têm nada a perder e nós temos tudo a ganhar", disse.

O Sporting de Braga pediu a despenalização de Rolando, expulso em Vila do Conde, diante do Rio Ave, na última jornada (derrota por 4-3), e Artur Jorge espera que a decisão do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol seja favorável.

"O pedido que o Sporting de Braga fez, na minha opinião, é inteiramente justo e espero que possa ser despenalizado. Aguardamos pela decisão, mas seria de todo sensato o reconhecimento do erro", disse.

Sporting de Braga, quarto classificado, com 50 pontos, e Desportivo das Aves, 18.º e último, com 14, defrontam-se a partir das 21:30 de sábado, no Estádio Municipal de Braga, jogo que será arbitrado por Manuel Mota, da associação de Braga.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.