Três jogos, um ponto. É o que separa o FC Porto do seu 29.º título de campeão de Portugal. A festa poderá ser feita já esta quarta-feira, na receção ao Sporting, encontro que fecha a 32.ª jornada da I Liga.

Os 'dragões' vão tentar fazer o pleno de triunfos ante os rivais Benfica e Sporting, depois de ter batido os 'encarnados' na Luz e no Dragão e ter ganho ao Sporting na primeira volta por 2-1 em Alvalade.

Mas pela frente, Conceição vai encontrar a única equipa sem derrotas nesta retoma do campeonato: os 'leões' venceram cinco e empataram dois dos sete jogos disputados deste que a prova foi reiniciada, a 03 de junho.

A pressão de ganhar estará do lado do FC Porto, equipa que está à beira de se sagrar campeão nacional. Mas o Sporting precisa de vencer para poder manter a atual distância para o SC Braga (4.º colocado com menos três pontos), na luta pelo último lugar do pódio.

Para este jogo, Sérgio Conceição não poderá contar com os castigados Corona e Uribe e com o lesionado Sérgio Oliveira. Danilo deverá regressar ao onze, num meio-campo que poderá ter Mamadou Loum ou então o jovem Vitinha.

No Sporting, Acuña é baixa também por castigo.

Invencível Amorim tenta evitar pior época do Sporting

Este clássico será o primeiro grande teste do Sporting de Rúben Amorim. O jovem técnico ainda não perdeu desde que assumiu o comando técnico dos 'leões', tem apostado em muito nos jovens da formação, mas estes ainda não foram colocados à prova frente a candidato ao título.

Também será um grande teste para o próprio Rúben Amorim, que ainda não somou qualquer derrota em jogos da Primeira Liga, entre SC Braga e Sporting. Em 19 jogos em 2019/20, 17 para o campeonato e dois para a Taça da Liga, que conquistou, o ex-jogador de Benfica, Sporting de Braga e Belenenses soma 16 vitórias, três empates e nenhuma derrota, com 38-14 em golos.

Rúben Amorim, de 35 anos, não perdeu internamente ao comando do Sporting de Braga, somando 10 vitórias e um empate, em 11 jogos, registo suficiente para convencer o Sporting a pegar em 10 milhões de euros e a ‘roubar’ o treinador aos minhotos. No Sporting, no qual entrou com o clube à beira de uma 16.ª derrota na época, que será recorde, superando as 15 de 2000/01 e 2012/13, tem ‘segurado o barco’ e segue invicto, em oito jogos, com seis triunfos e duas igualdades.

Para o Sporting é importante não perder no Dragão e no que resta do campeonato para evitar a 16.ª derrota da equipa de futebol em 2019/20. Caso falhe o objetivo, Sporting somará, ao 46.º jogo, o 16.º desaire da época. Caso isso aconteça, numa época marcada por uma interrupção de quase três meses devido à pandemia de COVID-19, os ‘leões’ superam os seus piores registos de derrotas numa temporada, as 15 de 2000/01, de permeio entre os seus dois últimos títulos nacionais, e de 2012/13, rumo ao sétimo lugar na I Liga.

A formação ‘leonina’ soma oito derrotas no campeonato (em 31 jogos), três na Liga Europa (oito), duas na Taça da Liga (quatro), uma na Taça de Portugal (um) e outra na Supertaça (um), registo sem a participação, para já, de Rúben Amorim.

Em 2000/01, o Sporting foi terceiro no campeonato, semi-finalista da Taça de Portugal e vencedor da Supertaça, face ao FC Porto, ‘tombando’ ainda na fase de grupos da ‘Champions’. Ainda assim, e em 49 encontros, os ‘leões’ perderam 15 vezes, sete sob o comando de Augusto Inácio, que depois do título de 1999/00 foi despedido após um 0-3 na Luz, à 13.ª ronda da I Liga, uma com o interino Fernando Mendes e sete com Manuel Fernandes.

Pequena vantagem dos 'Dragões' em duelos com os 'leões'

Ao ganhar na primeira volta em Alvalade, o FC Porto passou a contar mais três triunfos do que o Sporting no histórico de todos os 234 encontros oficiais de futebol entre os dois clubes. Entre I Liga, Taça de Portugal, Taça da Liga, Supertaça e Campeonato de Portugal, os ‘dragões’ somam 85 triunfos, contra 82 dos ‘leões’, isto apesar de somarem menos 21 golos (311 contra 332). Os empates são 67.

Em Alvalade, em 05 de janeiro, o conjunto comandado por Sérgio Conceição impôs-se com tentos do maliano Marega, logo aos seis minutos, e do brasileiro Soares, aos 73. Pelos ‘leões’, orientados então por Silas - sucedeu a Leonel Pontes, o interino que substituiu o holandês Marcel Keizer, e, entretanto, já cedeu o lugar a Rúben Amorim, -, faturou o agora castigado argentino Acuña, aos 44 minutos.

No século XXI, os registos são, ainda assim, equilibrados, com 20 vitórias do FC Porto e 15 do Sporting, mais 19 empates, com 59 golos para os ‘dragões’ e 54 para os ‘leões’.

Conceição à procura de igualar plenos de Mourinho e Hagan

Se o triunfo for azul-e-branco, FC Porto fará o pleno de triunfos entre os ‘grandes’ na edição 2019/20 da I Liga portuguesa de futebol, feito que só foi conseguido, até agora, nas edições de 1971/72 e 2002/03. O Benfica, de Jimmy Hagan, foi o primeiro a consegui-lo, o FC Porto, de José Mourinho, replicou-o, 31 anos depois, e, volvidas 17 épocas, poderá ser a vez do bem menos ‘glamoroso’ conjunto comandado por Sérgio Conceição.

Para repetirem 1971/72 e 2002/03, os ‘dragões’ só precisam de vencer o encontro que fecha a 32.ª ronda, a receção de quarta-feira ao Sporting, equipa que bateram em casa em nove dos últimos 10 campeonatos, sendo exceção o 1-3 de 2015/16.

Na primeira volta, o FC Porto venceu os dois jogos em Lisboa, por 2-0 na Luz, com tentos de Zé Luís (22 minutos) e Marega (86), e por 2-1 em Alvalade, com novo tento do maliano (06) e um de Soares (73), contra um de Acuña (44). A terceira vitória aconteceu no Dragão, onde o Benfica, mesmo com um ‘bis’ de Vinícius (18 e 50 minutos), não evitou um desaire por 3-2, selado com tentos de Sérgio Oliveira (10), Alex Telles (38, de penálti) e Vlachodimos (44, na própria baliza).

Este encontro foi determinante nas contas do ‘onze’ de Sérgio Conceição, pois, perdendo, o FC Porto ficaria, então, a 10 pontos do líder Benfica e, praticamente, sem hipóteses de chegar ao segundo cetro em três anos. Se bater o Sporting, o FC Porto faz o segundo pleno dos ‘dragões’ entre ‘grandes’, depois do conseguido por José Mourinho, agora no Tottenham.

As antevisões dos treinadores

Na antevisão do encontro, Rúben Amorim expressou o desejo de ver o FC Porto a jogar para ser campeão. Os 'dragões' podiam ter feito a festa no sofá esta terça-feira, se o Benfica não vencesse mas os atuais campeões nacionais bateram o Vitória de Guimarães por 2-0.

"Para mim seria importante, e volto a dizer, que o FC Porto não fosse campeão [na terça-feora]  e que tenha de empatar ou vencer o Sporting para ser campeão. É isso que eu quero, porque foco-me no crescimento da equipa e pouco me importa quem vai ser campeão, o Sporting não pode ser, é-me indiferente. O que quero é que estejam todos os fatores no jogo, o FC Porto não sendo campeão hoje [n.d.r. terça-feira] é mais um fator que está em jogo e vai-nos ajudar a crescer", comentou o técnico dos 'leões'.

Rúben Amorim recusou algum ascendente psicológico sobre Conceição pelo facto de ter batido o treinador do FC Porto por duas vezes esta época.

"O mister Sérgio Conceição já foi campeão, está a um ponto de ser campeão outra vez, tem muitos mais anos que eu, bateu o recorde de pontos do Olhanense, já esteve numa final da Taça, portanto eu não tenho ascendente, antes pelo contrário. Quem tem mostrado mais provas, mais conteúdo é o mister Sérgio Conceição em relação a mim. Os dois jogos que nós tivemos, num foram dois penaltis que o FC Porto falhou, no outro ganhamos aos 95' que são pormenores. O que o mister Conceição tem, que são títulos, é isso que eu ambiciono para mim enquanto treinador e para o Sporting", atirou.

Já Conceição só tinha elogios para o jovem técnico do Sporting. O técnico falou ainda da possível titularidade de Vitinha e Fábio Vieira.

"O Rúben tem feito um excelente trabalho no pouco tempo que é treinador, tem ideias bem definidas do que quer para as suas equipas e é conhecendo o treinador, as suas equipas, que nos baseámos na estratégia para o jogo. Depois, há também o trabalho da nossa equipa. [O Sporting] é uma equipa diferente, com alguns jovens de muita qualidade lançados pelo seu treinador. Tendo em contas os resultados, o Sporting mudou para muito melhor. Eles ainda não perderam e isso é reflexo da qualidade coletiva e dos jogadores que compõe esse coletivo", elogiou, antes de falar nas mexidas que terá de operar na equipa para este clássico, face às ausências de Corona, Uribe e Sérgio Oliveira.

"[Vitinha e Fábio Vieira] estão connosco há algum tempo, têm qualidade e estão preparados para jogar, assim como o João Mário. Há jogadores jovens que estão connosco e que estão preparados. Olhamos para o panorama do futebol nacional no que toca à formação e realmente vejo gente com muita qualidade. Mas é preciso associar a isso uma mentalidade competitiva e isso não acontece de um momento para outro. Há que encontrar o melhor equilíbrio para lançar esta gente, mas não da forma que cada um quer, mas sim pelo que é necessário na equipa. Se for o meu filho não é por isso que vai jogar. Olho para qualidade e não se tem 17 anos, 27, 37...", comentou.

O clássico entre FC Porto e Sporting CP, partida que encerra a 32.ª jornada da Liga NOS, contará com a arbitragem de João Pinheiro, da AF Braga. Bruno Rodrigues e Luciano Maia serão os assistentes, enquanto Iancu Vasilica o 4.º árbitro. VAR e AVAR ficarão a cargo de Artur Soares Dias e Paulo Soares.

O jogo está marcado para às 21h30 no Dragão e poderá ser acompanhado, como sempre, no SAPO Desporto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.