O FC Porto somou o seu terceiro jogo consecutivo sem vencer e viu ainda um golo anulado em tempo de compensação. Agora, vê o Sporting com a possibilidade de ultrapassá-lo e instalar-se na liderança, mesmo sabendo que os azuis e brancos ainda têm um jogo para disputar com o Estoril (21 de fevereiro). Um FC Porto com eficácia zero na finalização ficou-se por um empate a zero no reduto do crónico 'aflito' Moreirense, em encontro da 20.ª jornada da I Liga.

Os portistas só tinham empatado na receção ao Benfica e na casa do Sporting e do Desportivo das Aves e só contra rivais diretos haviam ficado em 'branco'.

Jhonatan chegou à flash interview a pensar que o Moreirense tinha perdido
Jhonatan chegou à flash interview a pensar que o Moreirense tinha perdido
Ver artigo

Com este resultado, e com um jogo em atraso (os segundos 45 minutos da deslocação ao Estoril), o FC Porto soma 49 pontos, contra 47 do Benfica que empatou no Restelo (1-1) e outros tantos do Sporting, que recebe na quarta-feira o Vitória de Guimarães. Já o Moreirense, é 15.º com 16 pontos.

Paulinho estreia-se no onze do FC Porto

Com Soares no banco, a grande surpresa do 'onze' de Sérgio Conceição foi a estreia a titular de Paulinho. O reforço que chegou há duas semanas vindo Portimonense jogou na direita do 'miolo' portista no primeiro jogo sem Danilo, que se lesionou na Taça da Liga, regressando Oliver Torres.

Por seu turno, Sérgio Vieira, privado de utilizar Neto devido a castigo, fez regressar Tozé, jogador emprestado pelo Vitória de Guimarães, mas que já jogou no FC Porto, e Arsénio, preterindo Zizo, isto face à equipa que perdeu (1-0) em Santa Maria da Feira, na última jornada.

O Filme do Jogo

Um Moreirense muito necessitado de pontos - tem conseguido estar à tona, mas muito perto da zona de descida - foi fechando os espaços na sua zona defensiva, perante um FC Porto que fazia o primeiro jogo depois de ter perdido com o Sporting no desempate por grandes penalidades, nas meias-finais da Taça da Liga.

Na primeira parte, só 'deu' FC Porto, mas ainda que tivesse tido oportunidades para inaugurar o marcador, o emblema 'azul e branco' não foi consistente e não teve pontaria afinada. Já os minhotos, responderam com uma tática refinada em termos defensivos, mas nunca chegaram à baliza de José Sá com perigo.

A primeira tentativa dos 'dragões' surgiu logo aos dois minutos, com um cabeceamento de Felipe, após canto de Alex Telles, para defesa do guardião da casa.

Aos 23 minutos, Paulinho faz um 'passe de morte' para Aboubakar, mas o camaronês rematou à malha lateral. E, aos 41, Brahimi, isolado, falhou a bola, acertando literalmente na atmosfera, depois de um livre 'estudado' de Alex Telles.

O FC Porto aumentava muito a intensidade de jogo, mas no último minuto antes do intervalo, a equipa de Guimarães teve em Jhonatan um 'herói'. O guardião brasileiro intercetou um passe de Marega e à recarga de Oliver respondeu com uma defesa apertada.

Sérgio Conceição: "Mas porquê não dar 8, 10 ou 12 minutos de compensação?"
Sérgio Conceição: "Mas porquê não dar 8, 10 ou 12 minutos de compensação?"
Ver artigo

Na segunda parte, a pressão dos portistas acentuou-se. Sérgio Conceição preparou um 'assalto' à 'muralha' do Moreirense, metendo Soares e estreando no campeonato (já tinha jogado frente aos 'leões' na Taça da Liga) o reforço Waris. Aboubakar foi 'sacrificado', mas Brahimi e Marega mantiveram-se na frente, num estranho e já nervoso 4-2-4.

Aos 51 minutos, só um corte de Rúben Lima travou um cabeceamento de Felipe, isto depois de um livre de Alex Telles, que foi travado pelo guarda-redes local e pelo poste.

Soares também tentou aos 69 minutos, depois de um cruzamento de Brahimi, e, aos 75, atirou de cabeça ao lado.

Sérgio Vieira preferiu esgotar as substituições com trocas de jogadores de ataque por ferramentas importantes para as transições como foi a entrada do egípcio Zizo muito criativo e que deu 'frescura' ao conjunto minhoto.

Mas, o FC Porto entrava com tudo na área contrária. As tentativas de chegar ao golo continuaram nos descontos que de cinco assinalados passaram a mais de nove dadas as paragens de jogo, nomeadamente devido à expulsão de Boubacar que viu o segundo amarelo por falta sobre Marega (90+2).

O momento: Um golo celebrado e anulado

Este foi o golo anulado ao FC Porto
Este foi o golo anulado ao FC Porto
Ver artigo

Em Moreira de Cónegos a história teria assinatura de Waris e a vitória sorriria ao FC Porto no último segundo da partida caso a bola que o ganês colocou no fundo das redes aos 90+6 não tivesse sido invalidada pelo fora-de-jogo assinalado pelo assistente Paulo Miranda. Consultado, o VAR manteve a decisão.

Veja o resumo em vídeo

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.