Boa entrada do Sporting em jogo, a querer fazer esquecer as duas derrotas averbadas em cinco jogos, a última das quais frente ao SC Braga (1-2). Amorim reforçou o meio campo, com Palhinha e Ugarte, tentando assim de alguma forma estancar a ferida, que redundou na maior permeabilidade da defesa nos últimos jogos. O Santa Clara com uma linha defensiva com cinco homens começou logo a dificultar a progressão com bola dos comandados de Amorim. Sem espaço para o jogo entrelinhas, a solução passava por canalizar jogo para os corredores, onde apareceu Nuno Santos a cruzar e a ganhar sucessivos cantos. Num cruzamento do ala, surgiu a primeira oportunidade do jogo. Confusão na área, mas a defensiva do Santa Clara conseguiu aliviar.

Veja o resumo da partida

O Santa Clara, tal como admitiu Mário Silva no final do jogo, veio com uma estratégia bem delineada para conter o Leão, tentando aproveitar o espaço que os alas abrem na transições defensivas. Com cabeça, tronco e membros, a equipa tentava ir a espaços para a frente, mas sem se desequilibrar. Ainda assim, o golo acontece num momento em que o Sporting tentava na frente descobrir os caminhos para a baliza. Livre de belo efeito de Lincoln a bater Adán.

A equipa de Alvalade estava ferida e claramente em noite desinpirada, mais à frente no texto vamos poder concretizar. Um autogolo do Santa Clara devolveu a igualdade ao marcador, perante a inoperância leonina na hora de meter a bola na baliza. Cruzamento tenso de Nuno Santos e Villanueva a não abordar da melhor forma o lance e a atirar para o fundo das redes. O Sporting podia respirar de alívio ao intervalo, também porque antes do apito para o descanso, Cryzan atirou ao ferro, depois de um cruzamento do inevitável Lincoln.

A equipa do Sporting sobrevivia, apesar de dominar, e ia para intervalo com o pensamento no golo. A tónica do jogo manteve-se a mesma, com os verdes e brancos com o controlo mas sem criarem perigo, até que a balança desiquilibrou.

Sarabia atirou para dentro da baliza, o lance foi invalidado, mas António Nobre (com recurso ao VAR) viu Rui Costa meter o braço à bola. Grande penalidade e expulsão do jogador do Santa Clara. A história do jogo estava praticamente definida, quando o espanhol transformou em golo o castigo máximo e deu vantagem aos leões. As oferendas foram aproveitadas pelo Sporting que em noite desinspirada voltou a não conseguir marcar em bola corrida. Que dizer do falhanço de Paulinho (o avançado foi aposta na segunda parte) na cara do guardião Ricardo Fernandes. Assim é o Sporting que segue para a final da Taça da Liga.

Momento

A expulsão de Rui Costa e o golo de Sarabia apontado na sequência do lance, já que impediu que o Santa Clara pudesse discutir o jogo e o resultado.

Melhores

Tabata

Se há jogadores no Sporting uns furos abaixo do que é habitual, Tabata não é certamente um dele. O brasileiro tem aproveitado as oportunidades e dá ao jogo dos leões um perfume diferente. Tentou dar um esticão no marasmo, com a sua velocidade, face à desinpiração leonina.

Nuno Santos

Tentou acordar a equipa, sobretudo na primeira parte, com cruzamentos venenosos e fazendo uso da sua velocidade. Um deles resultou no golo do empate dos leões. Na segunda parte perdeu gás, foi rendido por Tiago Tomás ao minuto 90.

Lincoln

Voltou a ser protagonista no Santa Clara, num grande pontapé a furar a barreira leonina. Fez também um cruzamento que quase ofereceu o golo a Cryzan (resultou em bola no poste).

Piores

Villanueva

Acabou por estar ligado a um dos lances do jogo. O corte defeituoso do central, quando tinha espaço para fazer melhor, resultou no golo que deu na altura o empate aos leões.

Reações

Rúben Amorim "gostou do resultado", Tabata diz Sporting "vai com tudo" para sábado

Mário Silva questiona penálti e expulsão, Lincoln "queria mais"

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.