Depois do jornalista Piers Morgan, agora foi a vez de Roy Keane manifestar-se contra a opção de Erik Ten Hag em deixar Cristiano Ronaldo no banco de suplentes do Manchester United, na humilhante goleada sofrida diante do City (6-3), para a 8.ª ronda da Premier League.. O antigo capitã dos Red Devils disse o clube devia ter deixado o português sair no último verão.

Veja as melhores imagens do jogo!

"O Manchester United está a desrespeitar o Cristiano Ronaldo, deviam tê-lo deixado sair antes do final da janela de transferências no verão. Não se segura um jogador como o Cristiano Ronaldo no banco de suplentes, é um dos melhores jogadores de sempre e tinha opções [para sair]. Essa ideia de dizer que ele não tinha opções é mentira, ele tinha umas quatro ou cinco opções muito boas", começou por dizer à 'Sky Sports'.

Para o antigo médio do Manchester United, ter Cristiano Ronaldo no banco terá consequências para Ten Hag e para a própria equipa.

"Se olharmos para isto de outro prisma, [Erik Ten Hag] não vai pôr o Ronaldo a jogar. É verdade que já o fez em jogos da Liga Europa, mas prevê-se que esta situação vá ficar cada vez mais feia à medida que a temporada avançar. Sentar Cristiano Ronaldo no banco do Manchester United semana após semana a fio não vai ser bom. Penso que o United está a desrespeitar o Ronaldo e que deveriam tê-lo deixado sair quando a oportunidade surgiu. Sinto que deixá-lo no banco é ridículo para um jogador com o seu estatuto. Mesmo hoje... se podia tê-lo lançado no jogo? Claro que podia. Basta olhar para o recorde de golos que ele tem. Se estiver dentro da área, marcará sempre golos", garantiu Keane.

Cristiano Ronaldo não saiu do banco, na humilhante goleada sofrida pelo Manchester United diante do Manchester City (6-3), no dérbi da cidade de Manchester. O avançado português foi 'poupado' ao que parecia caminhar para ser a maior goleada de sempre nos jogos entre as duas equipas, já que o marcador chegou a estar em 6-1, mas sente de forma especialmente negativa, na sua carreira, o jogo de hoje.

Com efeito, este é já o quinto jogo consecutivo em que não é titular, o que não acontecia desde 2003, quando ainda era jogador do Sporting e uma estrela em ascensão no futebol.

O jogo, da nona jornada da Premier League, mantém o campeão City na peugada do líder Arsenal: 21 pontos para os londrinos, 20 para a formação de Manchester. Já o United, interrompe uma série de quatro vitórias e permanece no sexto lugar, a nove pontos do comandante.

O dérbi de Manchester com mais golos de sempre ficou marcado pelos hat-tricks de Haaland e Foden nos citizens. Martial (2) e Anthony marcaram para os Red Devils.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.