A seleção ucraniana de futebol voltou hoje aos treinos, pela primeira vez desde o início da invasão russa, em 24 de fevereiro, num estágio na Eslovénia que visa a preparação para a ‘repescagem’ para o Mundial2022.

O selecionador ucraniano, Oleksandr Petrakov, destacou em conferência de imprensa que está confiante na recuperação da forma dos jogadores, no meio da difícil situação em que vivem, e que vão aproveitar os jogos particulares agendados para retomar o ritmo competitivo.

A Ucrânia vai defrontar a Escócia em 01 de junho no Hampden Park, de Glasgow, na meia-final do 'play-off' de acesso ao Mundial, e o vencedor do encontro vai jogar, quatro dias depois, com o País de Gales na luta pela última vaga europeia para o Qatar2022.

Petrakov explicou que já chegaram à Eslovénia a maioria dos jogadores, muitos do Shakhtar Donetsk e do Dínamo Kiev, e que os restantes convocados, entre os quais o ponta-de-lança Roman Yaremchuk, do Benfica, vão juntar-se aos trabalhos a meio do mês, após o final dos campeonatos.

“Estivemos muito tempo sem futebol. Estamos a trabalhar arduamente para avançar. Nos treinos, estamos cada vez melhor”, sublinhou Taras Stepanenko, jogador do Shakhtar Donetsk, admitindo que tem sido duro lidar com as emoções provocadas pela guerra na Ucrânia.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que já matou mais de três mil civis, segundo a ONU, que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior.

A ofensiva militar causou a fuga de mais de 13 milhões de pessoas, das quais mais de 5,5 milhões para fora do país, de acordo com os mais recentes dados da ONU.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.