O defesa Reggie Cannon assumiu hoje estar expectante pelo jogo entre as seleções dos Estados Unidos e do Irão no Mundial2022 de futebol, no qual defrontará o guarda-redes Alireza Beiranvand, atual companheiro de equipa no Boavista.

“Temos falado imenso no balneário sobre isso [risos]. Ele está muito confiante de que irá ganhar. Eu acho que não, mas esperemos para ver o que acontece. Obviamente, trata-se de uma grande rivalidade e dará uma energia muito boa ao jogo. Além disso, vai ser bom vê-lo num Mundial”, comentou o defesa aos jornalistas, antes de mais um treino aberto organizado pelo clube da I Liga, no complexo contíguo ao Estádio do Bessa, no Porto.

Estados Unidos e Irão estão acompanhados por Inglaterra e pela última seleção apurada do ‘play-off’ europeu, que será entre País de Gales, Ucrânia ou Escócia, no Grupo B do Mundial2022, cuja fase final se realiza no Qatar, de 21 de novembro a 18 de dezembro.

“Vai ser um grupo muito difícil, mas temos uma equipa muito jovem. Com o talento de jogadores como Sergiño Dest, Giovanni Reyna, Christian Pulisic ou Weston McKennie, somos capazes de fazer uma boa campanha”, agregou Reggie Cannon, que conta um golo em 24 internacionalizações, duas das quais alcançadas na fase de qualificação.

Qualificados pela 10.ª ocasião para o principal torneio mundial de seleções, os norte-americanos defrontam os iranianos, que disputam a sexta fase final, em 29 de novembro, no Estádio Al Thumama, em Doha, em encontro da terceira e última ronda da ‘poule’.

Na despedida da fase de grupos do Mundial1998, estes dois países com décadas de relações diplomáticas hostis cruzaram-se ineditamente a nível futebolístico, com o Irão a bater os Estados Unidos (2-1), no antigo Estádio Gerland, na cidade francesa de Lyon.

Antes do apito inicial do árbitro suíço Urs Meier, as equipas deixaram a tensão política à porta do recinto, com os jogadores iranianos a oferecerem aos norte-americanos rosas brancas, símbolo de paz em Teerão, antes de posarem para uma fotografia de conjunto.

Para a história também ficou a primeira vitória de sempre dos persas em Mundiais, com golos de Hamid Estili e Mehdi Mahdavikia, contra um de Brian McBride, feito que apenas seria repetido 20 anos depois diante de Marrocos (1-0), em São Petersburgo, na Rússia.

Os Estados Unidos terminaram o Grupo F do Mundial1998 na quarta e última posição, sem qualquer ponto, ao passo que o Irão foi terceiro, com três, e ficou afastado da ronda eliminatória, à qual acederam Alemanha, líder, e Jugoslávia, segundo, ambos com sete.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.