O Peru conquistou hoje o quinto lugar da zona sul-americana de apuramento para o Mundial2022, que vale o acesso a um ‘play-off’ intercontinental com o quinto asiático, deixando sem fase final Colômbia e Chile.

Necessitado apenas de vencer o seu jogo, da 18.ª e última jornada da fase de qualificação, o conjunto peruano não falhou, em Lima, batendo o já eliminado Paraguai por 2-0, com dois golos apontados na primeira parte, por Gianluca Lapadula, logo aos cinco minutos, e Yoshimar Yotún, aos 42.

Com este triunfo, o Peru passou a somar 24 pontos, contra 23 da Colômbia, que fez a sua parte, ao vencer na Venezuela por 1-0, numa vitória que acabou por nada valer, e 19 do Chile, que nem isso fez, ao perder por 2-0 na receção ao Uruguai.

Na Ciudad Guayana, os colombianos venceram com um tento do ex-portista James Rodríguez, que faturou de penálti, aos 45+4 minutos - Ferraresi (Estoril Praia) jogou todo o jogo nos locais, enquanto Uribe (FC Porto) foi suplente não utilizado.

Por seu lado, o Chile caiu na receção aos uruguaios, que ganharam com golos de Luis Suárez (79 minutos) e Federico Valverde (90), num jogo em que utilizaram os ‘leões’ Coates, todo o jogo, e Ugarte, desde os 74. O benfiquista Darwin não saiu do banco.

Nos outros dois jogos, já nada de muito importante estava em jogo, sendo que o Brasil, ao golear por 4-0 na Bolívia, garantiu o primeiro lugar, ao passar a somar mais seis pontos do que a Argentina, que empatou 1-1 no Equador.

Em La Paz, os brasileiros golearam com um ‘bis’ de Richarlison, que marcou aos 45 e 90+1 minutos, e golos de Lucas Paquetá, aos 24, e Bruno Guimarães, aos 66.

Por seu lado, a Argentina, com o benfiquista Otamendi no cetro da defesa, esteve a vencer em Guaiaquil desde os 24 minutos, quando Julián Alvarez faturou, sofrendo a igualdade aos 90+3, quando Enner Valencia marcou, na recarga um controverso penálti que Rulli defendeu numa primeira instância.

Apesar de ter cedido a igualdade, o conjunto de Lionel Scaloni, e Lionel Messi (jogou os 90 minutos), somou o seu 31.º encontro consecutivo sem perder (20 triunfos e 11 igualdades), desde o desaire por 2-0 com o Brasil, em 02 de julho de 2019.

A Argentina é a seleção que não perde há mais tempo e igualou o seu recorde de invencibilidade (31 jogos), que tinha estabelecido entre 1991 e 1993.

O Brasil (14 vitórias e três empates) e a Argentina (11 triunfos e seis igualdades) estão invictos na classificação, mas ainda têm um encontro por disputar, entre si, em solo ‘canarinho’, que foi interrompido e ainda não tem data para ser realizado.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.