A Alemanha tornou-se hoje a terceira campeã mundial em título a cair consecutivamente na fase de grupos e quarta nas últimas cinco edições, ao perder ‘estrondosamente’ por 2-0 com a Coreia do Sul, em Kazan, na Rússia.

A exemplo da França, em 2002, da Itália, em 2010, e da Espanha, em 2014, também os germânicos não conseguiram chegar aos oitavos de final, o que, para a ‘Mannschaft’, representa o seu pior registo de sempre em campeonatos do Mundo.

Na 19.ª presença, a Alemanha fez, assim, algo inédito, depois de quatro títulos, quatro finais perdidas e de ser eliminada cinco vezes nas ‘meias’, quatro nos ‘quartos’ e uma nos ‘oitavos’, em 1938, com um 10.º lugar que agora ‘arrasou’.

Depois de um desaire a abrir com o México, selado por Hirving Lozano, aos 35 minutos, os alemães foram felizes na segunda jornada do Grupo F, ao baterem a Suécia, por 2-1, com um golo de Toni Kroos aos 90+5 minutos, mas nem isso souberam aproveitar.

Um triunfo era o suficiente, face a um conjunto asiático que precisava de vencer por dois golos e esperar pelo desaire da Suécia, que não aconteceu (os nórdicos bateram o México por 3-0), mas os alemães não foram capazes sequer de marcar um golo.

Assim, os comandados de Joachim Löw, que se sagraram campeões pela quarta vez no Brasil, em 2014, saem pela ‘porta pequena’, num trajeto que também fica claramente marcado pelas polémicas escolhas do selecionador, para o Mundial2018 e para o ‘onze’.

A titularidade do guarda-redes Manuel Neuer, que esteve a época toda parado e ficou com o ‘lugar’ de Ter Stegen, autor de notável temporada na baliza do FC Barcelona, e a não convocação do jovem Leroy Sané, uma das grandes ‘estrelas’ do Manchester City de Pep Guardiola, estão no ‘top’ da controvérsia.

O resultado foi um triunfo e dois desaires, três pontos e um saldo negativo de dois golos marcados e quatro sofridos, que valem um ‘humilhante’ quarto lugar do Grupo F.

Nos últimos anos, este não é, ainda assim, o pior registo de um campeão em título, pois, em 2002, a França só somou um ponto e nem um golo marcou (0-3), e, em 2010, a Itália totalizou dois, com quatro marcados e cinco sofridos.

Em 2014, a Espanha fez ligeiramente melhor, pois também conseguiu uma vitória (3-0 à Austrália), mas a verdade é que caiu logo após a segunda jornada, depois de derrotas com a Holanda (1-5) e o Chile (0-2), dois dos grandes ausentes da Rússia.

Nas últimas cinco edições, o único campeão em título que passou a primeira fase foi o Brasil, que, em 2006, chegou até aos quartos de final, fase em que perdeu por 1-0 com a França, por culpa de um tento de Thierry Henry.

Antes, só a Itália, em 1950, num grupo de três em que só passava o primeiro (Suécia), e o Brasil, em 1966, batido por Portugal e a Hungria, é que se tinham ficado pela fase de grupos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.