Carlos Queiroz, selecionador do Irão, classificou esta terça-feira de "final" para a sua equipa o jogo de quarta-feira contra a Bósnia-Herzegovina, que pode render a passagem aos oitavos de final do Mundial de futebol.

"É a nossa final, tão simples quanto isto", disse o treinador português, na véspera do jogo, mesmo sabendo que o apuramento só acontece com a "ajuda" da Argentina, que terá de ganhar à Nigéria, seleção que por enquanto vai ocupando o segundo lugar do grupo F.

Queiroz relembrou que a seleção asiática tinha objetivos necessariamente limitados: "Não viemos cá para ganhar a taça, ninguém esperava isso do Irão. Só que ultrapassámos as expetativas e elevámos os nossos sonhos. Queremos jogar com o golo na nossa mente, para alcançar o sonho e ficar nos últimos 16", disse.

Depois de um empate sem golos com a Nigéria e derrota tangencial com a Argentina (golo de Messi no último minuto), o Irão tem uma das defesas menos batidas no torneio, mas é também a única seleção que não marcou qualquer golo.

"Não tenho nada contra os nigerianos, eu próprio sou africano [nasceu em Moçambique] mas com todo o respeito a vitória da Argentina é-nos favorável. Falei com os meus jogadores e temos de nos focar no nosso trabalho, tudo o resto está nas mãos de Deus", disse ainda o treinador do Irão.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.