A Liga Francesa de Futebol (LFP) rescindiu o contrato com o grupo audiovisual Mediapro, após dois meses de conflito sobre os direitos de transmissão televisiva do campeonato francês, noticia hoje a AFP, citando uma fonte próxima do processo.

A rescisão com a Mediapro, que, em dificuldades financeiras, falhou o pagamento dos compromissos assumidos, ainda precisa de ser validada pelo Tribunal Comercial de Nanterre, disse a mesma fonte, indicando que a LFP deve recuperar os direitos de transmissão até 21 de dezembro.

O grupo sino-espanhol Mediapro, detentor de 80% dos direitos televisivos da liga francesa de futebol, por um valor recorde de mais de 800 milhões de euros anuais, encontra-se em negociações desde 19 de outubro com a LFP, através de um procedimento aberto no Tribunal Comercial de Nanterre.

Alegando que a crise motivada pela pandemia de covid-19 reduziu o valor real do campeonato, a Mediapro pretendia renegociar o contrato para a temporada 2020/21, inicialmente pedindo um desconto, ao recusar-se pagar o contrato devido em outubro e dezembro, por um montante de aproximadamente 325 milhões de euros no total.

O diferendo em torno dos direitos de transmissão televisiva do campeonato francês poderá levar a uma queda acentuada de receitas dos já enfraquecidos clubes, que continuam com os estádios vazios, devido às restrições impostas pelo combate à pandemia de covid-19.

A solução poderá passar pelo Canal+, que detém o direito exclusivo de transmissão de dois jogos por dia até à época 2023/24, mas a emissora histórica do campeonato francês mantém-se discreta sobre o assunto e já indicou, por meio do ‘patrão’ Maxime Saada, que não reinvestirá “com prejuízo” no futebol.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.