Com mais jogos nas pernas, oito na realidade entre campeonato e Liga Europa, o Aberdeen tinha no ritmo a maior das armas para lidar com a equipa que foi orientada no encontro de Alvalade por Emanuel Ferro.

Sem o pergaminhos do passado, - os escoceses conquistaram a Taça das Taças com Alex Ferguson no banco em 1983 - a agora modesta equipa da cidade portuária de Aberdeen vinha a Alvalade com aspirações, mas o favoritismo do Sporting era amplamente reconhecido, pese embora as nove ausências devido ao COVID-19 que assolou em força os lisboetas.

A época começou com um 'tropeção', depois do revés com o adiamento da partida que seria o pontapé de saída dos leões no campeonato. A preparação também foi condicionada, com o Sporting sem o treinador e alguns dos pilares para a próxima época.

LEIA A CRÓNICA DA PARTIDA

Tudo condicionou esta preparação, e só um adversário mais à medida possibilitou porventura a passagem do leão. Esta equipa terá que fazer obviamente muito mais se quiser levar de vencido o Lask Linz na próxima eliminatória.

Perante um adversário, como já recordámos, mais rodado teve que ser um Sporting cirúrgico a resolver a eliminatória. Marcou cedo, que era o que se pretendia. Geriu o jogo, quase como quis, durante a primeira parte, e só pecou quando não quis imprimir velocidade no momento certo para antecipar a estocada final. O golo surgiu num lançamento do já 'recuperado' Vietto - o argentino lutou contra o COVID-19 no início da preparação leonina - que possibilitou que Tiago Tomás se estreasse a marcar com a camisola dos verdes e brancos.

Na construção de jogo, o Sporting não tinha muita oposição. O Aberdeen deixava o Sporting trocar o esférico, mas enquanto o golo da tranquilidade teimava em não surgir, Tiago Tomás poderia ter feito o gosto ao pé novamente  ao minuto 56´ - até deu a sensação que a eliminatória poderia fugir entre os dedos.

A velha máxima do quem não marca...sofre poderia ter ecoado...Mas o Aberdeen não tinha a qualidade e a destreza para colocar o leão em xeque. Exemplo foi o lance de Hedges, com o jogador adversário a surgir em excelente posição, mas depois sem talento para fazer melhor que um remate desviado.

O leão segurou a vantagem, teve momentos de qualidade, e o playoff da Liga Europa está já ao virar da esquina.

Momento

O golo de Tiago Tomás logo aos 7´. Criou dúvidas aos escoceses e deu confiança aos donos da casa...um sinal positivo contra um vírus que tem atrasado e de que maneira a preparação verde e branca.

Melhores

Vietto

O argentino é classe, é passe, é visão de jogo. Dos seus pés é capaz de criar os lances mais refinados e foi quem melhor tratou a bola na noite de Alvalade. Conhece os timings, toca a bola no momento certo. Ofereceu o golo a Tiago Tomás.

Tiago Tomás

Estreia a marcar do menino que neste encontro deixou o mais experiente Sporar no banco de suplentes. Poderia ter sido feliz numa lance na segunda parte, mas ficou a faltar a eficácia que não tinha faltado a abrir o jogo. É o segundo mais jovem de sempre a marcar com a camisola do Sporting para as competições europeias. 18 anos, três meses e nove dias. Só atrás de Litos.

Pedro Porro

O espanhol dá cada vez mais ares de que foi uma aposta certeira do Sporting. Muito afoito ofensivamente deu nas vistas e promete continuar a mostrar o seu futebol.

Reações

Emanuel Ferro: "Rúben Amorim comunicou, ajudou e ficou satisfeito com o desempenho dos jogadores"

Treinador do Aberdeen: "O Sporting marcou na única oportunidade que teve"

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.