A Juventus bateu esta terça-feira o Dinamo Kiev por 2-0 na Ucrânia, no arranque da 1.ª jornada do Grupo G da Liga dos Campeões. Sem poder contar com Cristiano Ronaldo, de fora devido à infeção com COVID-19, foi o espanhol Morata, que esta época regressou ao conjunto de Turim, a fazer a diferença no encontro, com dois golos na segunda parte.

Num jogo em que as ocasiões de golo escassearam, sobretudo nos primeiros 45 minutos, os campeões italianos foram controlando as operações e confirmaram o favoritismo, marcando por duas vezes, o suficiente para garantirem a conquista dos três pontos na capital ucraniana e entrarem assim com o pé direito num grupo do qual também fazem parte Barcelona e Ferenkvaros.

Primeira parte lenta e com poucas ideias

Num jogo disputado com adeptos nas bancadas (20 por cento da lotação do Estádio Olímpico de Kiev), o treinador da Juventus, Andrea Pirlo, mesmo não tendo Ronaldo à disposição optou por deixar no banco Paolo Dybala, apostando em Morata para a frente de ataque, apoiado pelos jovens Kulusevski e Chiesa.

E foi Chiesa o homem em maior destaque nos visitantes numa primeira parte em que poucas foram as verdadeiras situações de perigo junto da baliza. Só aos 35 minutos um dos guarda-redes teve de se aplicar, com Bushchan a impedir que Ramsey abrisse o marcador para a Juve. Foi o que de mais emocionante se viu nuns primeiros 45 minutos onde a outra única nota de destaque foi para uma contrariedade para o conjunto de Turim: Chiellini saiu lesionado e cedeu o seu lugar a Demiral.

Começa a segunda parte e Morata marca

O segundo tempo, porém, começou de forma bem diferente. Logo a abrir, a Juventus produziu a sua melhor jogada no encontro até então e abriu o marcador. Chisea combinou com Ramsey e este serviu Kulusevki, que viu Buschan travar o seu remate mas, na recarga, Morata não perdoou e atirou para o fundo das redes.

Em vantagem no marcador, a formação italiana voltou à toada lenta de até então, procurando controlar a bola por longos períodos, sem parecer querer arriscar em busca de um segundo golo que lhe transmitisse maior tranquilidade. Nem a entrada em campo de Dybala trouxe mais vivacidade ao jogo.

Dinamo Kiev tenta reagir, mas Juventus mata o jogo

Aos poucos, porém, a turma da casa começou a encontrar-se e a instalar-se no meio campo contrário, sobretudo depois da entrada em campo do luso-luxemburguês . Contudo, e apesar conseguir por várias vezes fazer a bola chegar à grande área da Juventus, os de Kiev nunca conseguiram incomodar verdadeiramente Szczęsny e foi a Juventus que acabou por marcar e matar o jogo.

Cuadrado avançou pela direita e cruzou na perfeição para a grande área do Dínamo Kiev, onde Morata surgiu a cabecear por entre as pernas de Bushchan, para o 2-0.

O vencedor estava encontrado, mas o Dínamo até ficou perto de reduzir a desvantagem, perto do fim, valendo Szczęsny aos visitantes. A Juventus cumpriu, assim, a sua obrigação e vai partir para a segunda jornada, na qual recebe em Turim o Barcelona, já com três pontos somados neste Grupo G.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.