A UEFA anunciou hoje a abertura de processos para investigar possíveis incidentes discriminatórios em dois jogos da Liga Conferência Europa de futebol, disputados em 30 de setembro, em Praga e em Berlim.

Em causa estão alegados incidentes racistas nos encontros Sparta Praga-Rangers e União Berlim-Maccabi Haifa.

Após o jogo com o Sparta, o clube escocês denunciou insultos de caráter racista proferidos pelo público, composto por crianças e jovens, contra o jogador finlandês Glen Kamara.

O encontro deveria ter sido disputado à porta fechada, devido a uma sanção imposta pela UEFA ao clube, também devido a insultos racistas, mas o organismo que rege o futebol europeu acabou por autorizar a presença, no estádio Letna, de 10.000 crianças e jovens de escolas e alguns acompanhantes.

No União Berlim-Maccabi Haifa, disputado no estádio olímpico da cidade alemã, um grupo de adeptos da equipa da casa dirigiu cânticos antissemitas aos apoiantes da formação israelita.

O clube de Berlim anunciou, entretanto, ter proibido a entrada nas suas instalações de um adepto, identificado como o autor dos incidentes.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.