O dirigente e antigo futebolista, de 43 anos, que preside ao organismo desde maio de 2018, recebeu 95 dos 105 votos expressos, sendo que os restantes foram em branco.

“Quero dar uma mensagem clara. Vou dialogar com firmeza em prol do bem geral, não apenas de alguns. O futebol profissional agrega mil licenças e, todos juntos, somos um milhão e 100 mil, por isso, vou lutar por isso, com programas”, afirmou Rubiales, aludindo à clivagem com LaLiga, responsável pelos patamares profissionais da modalidade.

O presidente da RFEF reconheceu que a Liga espanhola é “magnífica”, insistindo que, “além do negócio, o futebol é uma escola de valores”: “Temos de procurar o bem geral, dos escalões de formação, do futebol feminino”.

Rubiales admitiu que a sua eleição em 2018 [com 80 votos, contra 56 de Juan Luis Larrea], “não agradou a todos”, reconhecendo que o mandato “foi tremendamente complicado desde o início, eventualmente pior na segunda parte, durante o qual a covid-19 provocou um mau momento”.

Antes suceder a Ángel María Villar na presidência da RFEF, Rubiales liderou a Associação dos Futebolistas Espanhóis (AFE).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.