O presidente de Liga Espanhola, Javier Tebas, disse esta terça-feira que não devem ser esperadas grandes transferências no mercado do verão, devido às consequências da pandemia de COVID-19 nos clubes.

"Não esperemos grandes operações no verão, não será um mercado agitado. Calculo que em duas temporadas poderão ser movimentados verbas em transferências similares às anteriores à COVID-19", disse Tebas durante a cerimónia de apresentação da revisão dos limites salariais da Liga espanhola após o fecho do mercado de janeiro.

Para Tebas, será difícil a transferência de jogadores como Kylian Mbappé ou Erling Haaland para La Liga.

"O Real Madrid é o clube que mais se comenta sobre Mbappé. Se se seguirem os valores que têm de ser pagos ao PSG, faltando um ano para o fim de seu contrato, porque possivelmente vai esperar [para o final do contrato], então será possível", disse.

Tebas lembrou que a crise criada pela pandemia de COVID-19 está a afetar todas as equipas europeias, por isso é difícil chegar aos números que se falam nos casos de Haaland ou Mbbappé.

"Os clubes-estado são os únicos que poderiam dinamizar o mercado de uma forma maliciosa", disse Tebas, lembrando os casos do Manchester City e do PSG.

"No futebol europeu é preciso calcular que há 8 mil milhões de euros (9,6 mil milhões de dólares) a menos no mercado. Se há 8 mil milhões a menos, é evidente que, em geral, as transações tendem a diminuir", disse Tebas.

"Que apareça um PSG ou um City vou entender pelo doping financeiro que eles exercem, mas não vejo outras equipas a comprar esses jogadores. A menos que haja trocas, mas as equipas alemães não entram nesse tipo de negócios, no caso do Haaland. Sobre o PSG, logo veremos", concluiu o presidente de La Liga.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.