Uma saída à rua que continua a dar de que falar. Jovic saiu à rua em Belgrado, numa altura em que a Sérvia estava de quarentena obrigatória.

Depois de ter sido revelado que Jovic assinou um documento que explicava os cuidados a ter, já depois do mesmo de ter afirmado que não teve conhecimento dos mesmos, o pai do jogador lamenta que este esteja a ser tratado como um criminoso.

"Fez dois testes e ambos foram negativos. Depois disso houve um mal-entendido e ele não sabia que não podia sair do país. Pensou que, dando negativo, podia sair", refere Milan Jovic.

"Agora está a ser tratado como um criminoso. Se tem de ir preso, que vá. Estou de acordo com o primeiro-ministro e o presidente, mas só se for culpado. Mas ele veio a Belgrado e ficou em casa. Algumas fotos que o mostram a divertir-se foram tiradas em Espanha há meses. Mesmo a namorada, Sofia, que está grávida, não pode sair de casa", acrescentou o pai do avançado sérvio.

Segundo Milan, Jovic só viajou para a Sérvia "porque queria estar algum tempo com os seus. Estava até pronto para ajudar o Estado, financeiramente ou de outra maneira. O Luka ajudará o povo sérvio".

No Real Madrid todos os elementos do staff do clube foram colocados de quarentena e as suas instalações encerradas na semana passada, depois de um dos jogadores da equipa de basquetebol do clube, Trey Thompkins, ter testado positivo para o coronavírus.

Jovic, de 22 anos, chegou ao clube madrileno no passado verão, proveniente do Eintracht Frankfurt, mas foi titular em apenas quatro jogos na Liga espanhola esta temporada e tem estado longe de ser uma das primeiras opções de Zinedine Zidane.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.