Foi um fim-de-semana com sabores distintos para os jogadores e treinadores portugueses espalhados pelo mundo. Houve quem marcasse e quem festejasse, mas houve também quem não tivesse tantas razões para sorrir.

O SAPO Desporto faz o resumo do fim de semana dos portugueses que atuam em Inglaterra, Itália, Espanha, França e Alemanha, e olha também para alguns que estiveram em destaque noutros campeonatos.

Premier League

Deu empate o jogo grande da 13ª jornada em Inglaterra. Em Stamford Bridge, o Manchester United, com Bruno Fernandes no onze e  Cristiano Ronaldo a saltar do banco a meio do segundo tempo, até esteve a ganhar, mas o Chelsea conseguiu chegar à igualdade.

Depois de uma primeira parte sem golos, Jadon Sancho aproveitou um erro clamoroso de Jorginho para, isolado, abrir o marcador. Só que o internacional italiano viria a redimir-se, empatando depois, numa altura em que Ronaldo já tinha substituído Sancho, o encontro na transformação de uma grande penalidade.

Mais feliz foi o Manchester City que impôs um triunfo na receção ao West Ham (2-1). Pep Guardiola colocou de início os portugueses João Cancelo, Rúben Dias e Bernardo Silva e chegou ao intervalo em vantagem, por culpa do golo marcado através de Gundogan, aos 33 minutos, numa jogada iniciada com um passe fantástico de Cancelo.

Na segunda parte os campeões em título aproveitaram para dilatar a vantagem, pelos pés do suplente utilizado Fernandinho (90), já em cima do apito final, a passe de Gabriel Jesus. Pouco tempo depois, Bernardo Silva fez um golaço, num chapéu a Lucas Fabianski mas o lance foi anulado por fora de jogo do português.

Quem também teve um fim de semana em cheio foi Diogo Jota, que bisou na goleada do Liverpool ao Southampton. Assim que entrou em campo, demorou 97 segundos para abrir o ativo, a passe de Robertson.

Num jogo dominado pelos 'Reds', Mohamed Salah assistiu Diogo Jota para o bis aos 32 minutos. Antes do intervalo, Thiago Alcântara fez o 3-0. No segundo tempo só se marcou um golo, pelo central Virgil van Dijk aos 52 minutos, assistido por Trent Alexander-Arnold.

Já o Wolverhampton de Bruno Lage empatou a zeros no terreno do Norwich City. José Sá, Francisco Trincão, Rúben Neves, Nelson Semedo e João Moutinho foram titulares, Fábio Silva não saiu do banco.

O fim de semana ficou ainda marcado pelo regresso do Arsenal aos triunfos na Premier League, ao vencer o Newcastle no Emirates por 2-0. Os Gunners marcaram aos 56 minutos, num remate cruzado de Bukayo Saka, com uma assistência do português Nuno Tavares. O golo da tranquilidade da equipa de Mikel Arteta surgiu 10 minutos, as 76, pelo brasileiro Martinelli, a passe do japonês Tomiyasu.

La Liga

Em Espanha, o guarda-redes português Luís Maximiano assinou um autogolo, num lance algo caricato, que permitiu ao Athletic Bilbau anular a vantagem do Granada e empatar 2-2, no jogo que abriu a 15.ª jornada da Liga espanhola de futebol.

Ainda sem o central internacional luso Domingos Duarte, que continua a recuperar de lesão, o Granada concedeu a igualdade aos 76 minutos, num lance repleto de peripécias, com jogadores andaluzes a escorregarem, a bola a embater no poste e ainda a ressaltar num defesa visitante, antes de Maximiano lhe tocar inadvertidamente.

Já o Valência e o Rayo Vallecano empataram a uma bola, com Soler a adiantar aos 19 minutos, da marca de onze metros, a formação do extremo luso Gonçalo Guedes, que foi substituído aos 62, e Isi Palazon a ditar o empate aos 64. Os portugueses Bebé e Kevin Rodrigues saltaram do banco do Rayo Vallecano aos 79 e 90+3, respetivamente.

Também este fim de semana o Bétis recebeu e bateu o Levante, de Rúben Vezo, por 3-1, com um ‘hat-trick’ de Juanmi, numa partida em que o guarda-redes luso Rui Silva foi titular na equipa de Sevilha e teve a companhia de William Carvalho na segunda parte.

Por seu lado o Atlético Madrid goleou no campo do Cádiz, por 4-1, novamente sem João Félix, que continua a recuperar de lesão.

Ligue 1

A 15.ª jornada da Ligue 1 arrancou com o empate do Lens em casa com o Angers (2-2). Do lado do Lens, o português David Costa foi lançado aos 68 minutos, enquanto, nos forasteiros, o médio Mathias Pereira Lage não saiu do banco de suplentes.

Quem também empatou foi o campeão Lille na receção ao Nantes. Os portugueses José Fonte e Tiago Djaló foram titulares na equipa da casa, enquanto Renato Sanches foi chamado a jogo aos 62 minutos e Xeka não saiu do banco.

Já o PSG sofreu para vencer o Saint-Étienne, com Danilo no onze. A equipa de Pochettino acabaria por vencer o encontro por 3-1, num jogo que ficou marcado pela estreia de Sergio Ramos, mas também pela lesão de Neymar.

No duelo entre o Montpellier e o Lyon, o internacional brasileiro Paquetá fez o único golo do jogo aos 17 minutos, com o guardião internacional português Anthony Lopes nas redes dos vencedores.

Por seu lado o Bordéus, com Ricardo Mangas no onze titular, foi derrotado em casa pelo Brest, por 2-1, enquanto Mónaco e Estrasburgo empataram a uma bola, com Gedson Martins a entrar aos 70 minutos para o lugar do francês Ben Yedder.

Serie A

Na 14ª ronda do campeonato italiano, a Sampdoria recuperou de uma desvantagem de uma bola ao intervalo e bateu o Verona por 3-1, com os médios internacionais portugueses Adrien Silva e Miguel Veloso em campo, um de cada lado. A ‘sorte’ sorriu a Adrien Silva, da Sampdoria, lançado no encontro aos 66 minutos, enquanto Miguel Veloso foi titular do lado do Verona, tendo sido substituído aos 74.

Já o AC Milan somou o terceiro jogo seguido sem vencer na Série A, ao perder por 3-1 em casa com o Sassuolo, num jogo em que Rafael Leão foi titular.

Melhor sorte teve a AS Roma, treinada pelo português José Mourinho, que recebeu e venceu o Torino por 1-0, naquela que foi a segunda vitória consecutiva da formação da capital na Serie A, a terceira no conjunto de todas as competições. Destaque ainda para a titularidade do internacional luso Rui Patrício, que não sofre golos há três jogos seguidos.

Também o Nápoles venceu em casa a Lazio por 4-0, com o internacional português Mário Rui no onze titular, no dia em que foi estreada a estátua de Diego Maradona.

Bundesliga

A 13ª jornada da liga alemã ficou marcada pelo regresso de Erling Haaland aos relvados, na vitória do Borussia Dortmund no campo do Wolfsburgo, por 3-1, num encontro em que o português Raphael Guerreiro voltou a estar ausente, devido a lesão.

Já o Bayer Leverkusen venceu por 3-1 em casa do Leipzig. Florian Wirtz, aos 21 minutos, o francês Moussa Diaby, aos 34, e o holandês Jeremie Frimpong, aos 64, foram os marcadores dos golos do Bayer Leverkusen. O internacional português André Silva apontou o golo do Leipzig, aos 62 minutos, mas não conseguiu evitar a derrota.

Por seu lado o Eintracht Frankfurt, com Gonçalo Paciência a começar o jogo no banco e a ser lançado aos 68 minutos, venceu por 2-1 na receção ao Union Berlin.

Outros campeonatos

O fim de semana ficou fortemente marcado pela vitória do Palmeiras, de Abel Ferreira, frente ao Flamengo, de Renato Gaúcho, por 2-1. A equipa do treinador português sagrou-se campeã da Libertadores, pelo segundo ano consecutivo e pela terceira vez na sua história.

Com esta conquista, Abel Ferreira replicou na América do Sul o que Manuel José conseguiu em África e José Mourinho na Europa, com um segundo título continental.

Quem não sorriu tanto foi o Al Taawon, do português José Gomes, somou o segundo jogo consecutivo sem vencer na liga da Arábia Saudita de futebol, ao empatar na receção ao Al Feiha (1-1), mantendo-se em lugar de despromoção.

No campeonato grego, o Olympiacos, orientado pelo treinador português Pedro Martins, venceu em casa por 2-1 o Volos NFC, para a 11.ª jornada. O Olympiacos, com o português Rony Lopes e o ex-portista Tiquinho Soares na equipa inicial, somou o seu sexto triunfo consecutivo e lidera o campeonato grego com 29 pontos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.