Angel Di María vai deixar a seleção argentina de futebol após o Mundial2022. O extremo, que terminou contrato com o PSG, está na sua seleção que esta quarta-feira defronta a Itália na Finalíssima.

"Depois do Mundial acho que é a hora. Há muitos rapazes que estão à altura da seleção, estão a crescer e que estão a demonstrar que estão num grande nível tanto nos seus clubes como na própria seleção. Seria egoísta da minha parte depois de tantos anos e de ter conquistado o que queria e com o Mundial tão perto… Desejo estar presente e depois, o mais certo é dar um passo ao lado", disse o jogador de 34 anos.

Di María passou por clubes como Rosario Central, Benfica, Real Madrid, Manchester United e PSG e na seleção principal da Argentina disputou 121 jogos e marcou 24 golos.

Após o jogo com a Itália, o extremo de 34 anos deverá permanecer mais uma época na Europa antes de regressar ao seu país para jogar no seu clube do coração, o Rosario Central.

"A minha ideia para já é ficar na Europa. Quero estar no Mundial e estar à altura da competição. Depois vou ver. Sinceramente o meu sonho é voltar [ao Rosario] e acabar aí a carreira. Vamos passo a passo e ver o que acontece. Lamentavelmente se voltar, não vou poder jogar com o melhor marcador da história do Rosario [Marco Rubén]. Já o conheci, é uma excelente pessoa e aproveito para lhe enviar um abraço", contou Di María, ao diário 'Olé'.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.