O argentino Carlos Tevez, ídolo do Boca Juniors, confirmou na sexta-feira a sua retirada definitiva do futebol, depois de ter feito uma pausa na carreira em junho de 2021.

“Perguntam-me sempre por que motivo deixei de jogar e um dia respondi: ‘porque perdi o meu fã número um’”, justificou o ‘Apache’, referindo-se à morte do pai em fevereiro de 2021.

O avançado internacional argentino, de 38 anos, anunciou no início de junho de 2021 que ia deixar o Boca Juniors e colocou mesmo a hipótese de terminar a sua carreira de futebolista, algo agora confirmado.

“O último ano que joguei foi muito duro, porque ele [o pai] estava em morte cerebral. Levantei-me um dia e disse à Vane [a mulher]: ‘Não jogo mais’”, recordou sobre a decisão tomada há um ano.

Um dos jogadores mais titulados da história do futebol argentino, Tevez formou-se no Boca Juniores, de onde saiu para um percurso que incluiu passagens por Corinthians, West Ham, Manchester United, Manchester City e Juventus, antes do regresso a ‘casa’ em 2015 – em 2017, esteve ainda no Shanghai Shenhua.

“Como jogador, já dei tudo o que tinha. Dentro do meu coração, dei tudo e isso deixa-me tranquilo. […] Tive várias ofertas… tinha uma proposta dos Estados Unidos, mas era uma mudança muito grande para a minha família. Na Argentina, também tive propostas de muitos lados… mas acabou”, assegurou, na entrevista televisiva à América TV.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.