Os egípcios do Zamalek conquistaram hoje a Supertaça de África em futebol, após baterem em Doha o Esperance de Tunis por 3-1, em jogo que esteve para não se realizar devido a tensões geopolíticas.

O quarto título na prova para o Zamalek foi conseguido com golos de Youssef Obama, aos 02 minutos, e de Achraf Bencharki aos 58 e 90+5, sendo que o tento de Hamdou Elhouni, de penálti aos 54, valia o empate efémero para os tunisinos.

O Al-Ahly, também do Egito, é a equipa mais bem-sucedida na Supertaça de África com seis títulos, seguida do Zamalek com quatro.

O Esperance de Tunis, que venceu a sua primeira final, em 1995, perdeu as seguintes, em 1999, 2012, 2019 e agora em 2020.

As tensões entre o Egito e o Qatar, onde decorreu a final, quase levaram ao cancelamento do jogo, com o Zamalek a ameaçar boicotá-lo.

O Egito é um dos quatro países da região a impor um boicote económico ao Qatar, devido ao seu apoio ao Irão e supostamente a grupos islâmicos radicais, o que Doha nega.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.