Numa altura em que o Mundo ainda chora a morte de Maradona, já há quem faça contas ao património do craque e da 'guerra' que se avizinha pela herança do antigo futebolista. O jornal argentino 'Clarín' fez as contas ao que os filhos podem herdar e vaticina uma batalha na justiça.

Acompanhe o Especial do Adeus a Maradona no SAPO Desporto

A primeira batalha começará no número de filhos. Maradona tem cinco filhos reconhecidos de quatro mulheres: Dalma e Gianinna, de 33 e 31 anos, nasceram do seu casamento com Claudia Villafañe. Em 2013 Maradona foi pai de Diego Fernando, de oito anos, filho de Verónica Ojeda e em 2014, assumiu oficialmente mais uma filha, Jana, de 24 anos, fruto da relação com a italiana Valeria Sabalain, em 1996.

Em 2016 voltou a assumir, judicialmente, outro filho de uma outra relação extraconjugal que teve com a modelo Cristina Sinagra, em Itália: Diego Sinagra Maradona, agora com 36 anos.

No entanto, há seis processos de paternidade na justiça e que tão cedo não ficarão resolvidos: os cubanos Javielito, Lu, Johanna e Harold, e os argentinos Santiago Lara e Magalí Gil, todos com idade entre 19 e 24 anos, dizem ser filhos de Diego Armando Maradona.

Património avaliado entre 63 e 84 milhões de euros

Durante a sua vida, Diego Armando Maradona terá ganho qualquer coisa como 500 milhões de dólares (420 milhões de euros), entre salários e patrocínios, de acordo com o portal 'Celebrity Net Worth'. Maradona representou marcas como Hublot, Puma e Coca-Cola que  lhe valeram muitos milhões mas o seu património atual está avaliado entre 63 e 84 milhões de euros e muitos bens.

O craque deixou seis herdades em Buenos Aires, além do apartamento onde vive duas irmãs, quatro viaturas também na capital argentina e dois outros de luxo no Dubai: um Rolls Royce Ghost, avaliado 300 mil euros e um BMW i8, avaliado em 145 mil euros euros. Entre os pertences, destaque para um anel de diamantes avaliado em 300 mil euros, que recebeu quando passou pelo Dínamo Brest, da Bielorrússia em 2018.

Há que contabilizar ainda os contratos com a Puma e ainda com a Konami e a EA Sports para utilizarem a sua figura nos videojogos. Do património fazem parte as muitas escolas de futebol na China com o seu nome, um hotel de luxo em Cuba, além de outros investimentos em Itália e Venezuela.

Ainda em vida, o património de Maradona já tinha dado que falar. Em 2015, houve um litígio entre o craque e a sua ex-mulher Claudia Villafane, que o acusou de evasão fiscal e apropriação indevida de bens. As filhas de ambos, Gianinna e Dalma, colocaram-se ao lado da mãe. Furioso, Maradona ameaçou deserda-las.

"Digo-lhes a todos que não lhes vou deixar nada, que vou doar tudo. Vou dar tudo o que ganhei na minha vida", disse um dia Maradona, no meio de uma discussão com as filhas mais velhas. No entanto, a legislação argentina não permite que os pais deserdem os seus filhos, considerados pela lei como o elo mais fraco de uma relação conflituosa. Uma lei aprovada em 2015 determina que os filhos têm direito a dois terços do património familiar (antes eram quatro quintos), independentemente dos desejos dos pais.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.