A UEFA acredita ser possível terminar o que resta das principais Ligas nacionais (Espanha, Inglaterra, Alemanha, França e Itália) e o que falta jogar da Liga dos Campeões a partir de junho, sendo essa a sua principal prioridade, não descartando que as competições se estendam para lá do verão.

Da reunião, por vídeoconferência, do órgão máximo do futebol europeu com as 55 federações nacionais que o integram, deverá sair um acordo para suspender os encontros amigáveis de seleções programados para junho, de forma a ganhar datas no calendário. Apesar de tudo depender do progresso da pandemia COVI-19 e da decisão dos vários governos, a UEFA conta que as equipas possam retomar o treinos e iniciar uma espécie de 'pré-temporada' a tempo de estarem em condições de competir em junho.

A Liga espanhola e a Premier League já terão feito que o principal objetivo será sempre o de terminar a competição nacional e a atual edição da Liga dos Campeões, mesmo que tal implique jogos para lá do verão, ocupando parte do calendário da temporada 20-21, não estando ainda assim dispostos a abrir mão das respetivas Taças nacionais, como chegou a ser sugerido por um dos grupos de trabalho criados pela UEFA.

Um dos problemas levantados para uma conclusão da temporada em agosto ou mesmo para lá disso, contudo, é a duração dos contratos dos jogadores e treinadores, com muitos vínculos a terminarem a 30 de junho. A FIFA, porém, já se mostrou disposta a adaptar as regras para levar em conta essa circunstância, com a FIFPro, Sindicato Mundial de Jogadores de Futebol, a alertar que, se tal vier a acontecer, deverá ser tomada uma medida universal, que abranja todos os jogadores e não apenas aqueles que os clubes quiserem manter.

A UEFA não descarta, se a atual temporada vier mesmo a invadir datas da próxima, pedir à Associação de Clubes Europeus (ECA), às Ligas Europeias e aos jogadores que aceitem cortes no formato do Campeonato Nacional, reduzindo por exemplo o número de equipas.

Mais cortes nas datas destinadas aos compromissos das seleções também poderão vir a ser negociados com a FIFA, ainda que se para esta temporada a prioridade passe por terminar as Ligas nacionais e as provas europeias de clubes, na próxima temporada a prioridade passará por realizar o Campeonato da Europa de 2020, entretanto adiado para 2021, e encaixar ainda o Mundial de Clubes da FIFA no calendário.

Da reunião não deverão ainda sair acordos definitivos, pelo que os grupos de trabalho continuarão a avaliar a situação à medida que a pandemia for progredindo e haja e um cenário mais claro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.