O selecionador holandês de futebol, Ronald Koeman, que sofreu um problema cardíaco no início de maio, admitiu hoje que a preocupação com a covid-19, poderá estar a afetar os doentes que sofrem de outras patologias.

“A minha consulta de cardiologia [marcada para 19 de março] foi adiada devido ao coronavírus. Pergunto-me quantas pessoas perderam a vida por causa de adiamentos como o meu”, questionou o antigo treinador do Benfica, numa entrevista televisiva a um canal holandês.

Koeman, que sofreu um problema cardíaco em 03 de maio, e teve de ser sujeito a um cateterismo, admite que foi um “sortudo” por ter tido a assistência médica urgente de que necessitava.

“Nos cuidados intensivos, todos estavam fixados nos doentes infetados com coronavírus”, afirmou Koeman, lembrando que na sua família “há várias pessoas com problemas cardíacos” e que o adiamento da sua consulta teve efeitos que poderiam ter sido fatais.

Em 03 de maio, o atual selecionador dos Países Baixos sentiu fortes dores no peito após um treino de bicicleta, e foi sujeito a um cateterismo, que é um procedimento utilizado para libertar a artéria que esteja demasiado estreita ou bloqueada através da implantação nesta de uma prótese intravascular.

O antigo futebolista, que treinou o Benfica em 2005/06, garantiu, entretanto, estar recuperado, e agradeceu ao pessoal médico que o ajudou “rapidamente e de forma fantástica”.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 357 mil mortos e infetou mais de 5,7 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.